A partir desta segunda, 27, alunos da rede estadual são obrigados a voltarem às salas de aula no Paraná

27 de setembro de 2021

A partir desta segunda-feira, 27, a volta à escola é obrigatória para alunos da rede estadual de ensino do Paraná. O documento determinando esse retorno foi publicado na última quinta-feira, 23. A resolução de número 860/2021, abrange as instituições de ensino públicas e privadas de todo o Estado.

De acordo com o documento, deve ser garantida a oferta da modalidade online (remota) apenas para os estudantes que estiverem em isolamento ou quarentena para COVID-19, bem como para aqueles com comorbidade, ou a critério médico. “Essas são as únicas exceções. Fora isso, o aluno que não for, vai levar falta”, alerta a chefe do Núcleo Regional de Educação de Maringá Isabel Soares.

A capacidade máxima dos espaços segue com a necessidade de respeitar o distanciamento físico de um metro entre as pessoas. A adoção e o cumprimento das medidas de prevenção e controle para Covid-19 são de responsabilidade das instituições de ensino, alunos, pais, colaboradores e todos aqueles que frequentam estes locais.

A alteração ocorre na semana em que o Paraná anunciou o início da imunização em adolescentes. O cenário da pandemia também é outro, com ocupação estável de leitos de UTI e enfermaria e queda na média móvel de casos (55%) e óbitos (45%).

Com a nova resolução, a Rede Estadual de Ensino irá atender os estudantes essencialmente de forma presencial, encerrando as aulas online (por Meet), que só serão mantidas para os casos elencados na Resolução: alunos com comorbidade, a critério médico ou que estejam em isolamento.

Outra exceção que está mantida para a modalidade remota são turmas em colégios onde existe o revezamento pela necessidade do distanciamento. Ou seja, optar pelo ensino remoto não será mais uma opção dos responsáveis pelas crianças e adolescentes. “Sabemos que há em alguns colégios, a falta de funcionários, mas isso já está sendo suprido com a contratação por meio do PSS (Processo Seletivo Simplificado)”, completa Isabel.

De acordo com a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, as escolas da rede pública vão ter uma semana para se adaptarem à nova determinação e informarem aos pais e responsáveis que ainda estão com os filhos em casa. Atualmente, mais da metade da rede de pouco mais de um milhão de alunos já frequenta presencialmente as aulas.

As demais medidas essenciais do protocolo de biossegurança continuam válidas para toda a rede, como vem acontecendo desde o retorno presencial gradual, em maio: obrigatoriedade do uso de máscaras; adoção do distanciamento físico entre pessoas; não compartilhamento de objetos e utensílios pessoais; a limpeza e desinfecção do ambiente e superfícies, entre outros.