Sessão deve ser tumultuada com a volta à Câmara da criação do Conselho LGBTQIA+

2 de setembro de 2021
conselho
Imagem ilustrativa Foto: Divulgação

A previsão é de muita gente na sessão da Câmara de Maringá nesta quinta-feira, 2, que pode ser tumultuada com discursos acalorados, vaias, aplausos e cartazes a favor e contra a aprovação do projeto de lei do Executivo que cria o Conselho Municipal dos Direitos LGBTQIA+, que volta à pauta para segunda votação depois de permanecer suspenso por quatro sessões.

Tanto grupos favoráveis quanto contrários ao projeto usaram as redes sociais nos últimos dias para atrair pessoas à sessão, alguns para apoiar os vereadores que votarão pela aprovação e outros em sentido contrário. Mas, apenas 50 pessoas poderão permanecer no interior da Câmara, 25 de cada grupo, e em lados separados do plenário. As demais pessoas presentes poderão se manifestar à vontade, com suas faixas e cartazes, do lado de fora do prédio.

O projeto foi aprovado por 10 votos a 3 em primeira votação, porém, na segunda votação, vereadores que tinham votado contra pediram a retirada do projeto da pauta por quatro sessões para que fossem apresentadas emendas. Isto se deu por pressão de alguns setores da sociedade, principalmente grupos evangélicos.

conselho
Na sessão em que o projeto foi suspenso houve pressão dos favoráveis e dos contrários à criação do conselho Foto: Phil Natal

Durante a suspensão, foram apresentadas 20 emendas, alterando totalmente o sentido do projeto original, que havia sido elaborado pelo Executivo com base em leis já existentes em outras cidades brasileiras e com orientação da comunidade LGBTQIA+.

A permissão para que apenas 50 pessoas possam permanecer no plenário é para que não se perca o controle da situação. Segundo o presidente da Câmara, Mário Hossokawa (Progressistas), as senhas para a entrada serão distribuídas a partir das 8 horas. Elas serão entregues aos líderes dos grupos a favor e contra a aprovação do projeto e esses líderes se encarregarão de definir quem deve entrar.