Maria Aparecida Rissato morre um mês e meio depois do marido, também de covid

29 de julho de 2021
Maria Aparecida Rissato de Jesus
A professora Maria Aparecida Rissato morre de covid depois que a doença contaminhou seu filho e causou a morte do marido, há um mês e meio

Morreu nesta quinta-feira, de complicações causadas pela covid-19, a professora Maria Aparecida Rissato de Jesus, de 62 anos, moradora no distrito de Iguatemi.

Servidora pública municipal aposentada, Maria Aparecida já convivia com a Covid há tempos: em maio, seu filho Mário Sérgio Rissato testou positivo, precisou ser internado, foi intubado e passou por uma traqueostomia, mas sobreviveu e deixou o hospital depois de 25 dias; poucos dias depois, foi o marido, Agnaldo de Melo Jesus, quem foi internado, foi intubado e não resistiu. Agnaldo, que trabalhava como agente universitário no Núcleo de Psicologia Aplicada da Universidade Estadual de Maringá (UEM), morreu no dia 17 de junho.

Maria Aparecida foi a terceira pessoa do núcleo familiar a precisar ser internada por causa da covid-19. Quando ficou sabendo que estava contaminada, Maria Aparecida encabeçava uma campanha para arrecadar fundos para cobrir as despesas que teve com a morte do marido.