Fiscalização será rígida no cumprimento dos decretos de enfrentamento à covid

Por: - 28 de maio de 2021
GGI nas ruas
Com apoio da Polícia Militar e Bombeiros, os agentes do GGI já estão nas ruas de Maringá Foto: PMM

O trabalho de fiscalização do Grupo de Gestão Integrada (GGI) neste fim de semana para o cumprimento dos decretos estadual e municipal de contenção à disseminação do coronavírus deve ser ainda mais rigoroso do que o da semana passada, até porque os decretos estão mais rígidos do que os anteriores.

Os integrantes do GGI, o comando do 4º. Batalhão da Polícia Militar (BPM) e do Corpo de Bombeiros se reuniram na tarde desta sexta-feira para definir a estratégia a ser executada ainda na sexta, sábado e domingo.

Pelo que ficou definido, haverá rigor com aglomerações, estabelecimentos comerciais que descumprirem os decretos e pessoas nas ruas sem máscaras faciais

“Temos a determinação do governo do Paraná de fazer com que os decretos estadual e municipal sejam cumpridos visando a diminuição do uso de leitos de UTI e melhorar os índices de saúde da população”, explica o capitão Alexandro Gomes, do 4º. BPM.

Ele lembra que o trabalho conjunto da PM com o GGI tem sido constante e com excelentes resultados.

As vistorias prometem ser mais rigorosas que as anteriores devido a situação da pandemia, principalmente com o aumento nos casos de hospitalização de jovens. “Vamos manter a quantidade e aumentar a severidade”, garante o capitão.

Desta vez, o Corpo de Bombeiros vai agir após as vistorias, visitando os locais em que forem encontradas irregularidades para fiscalizar questões técnicas dos estabelecimentos. O setor de inteligência da Polícia Militar, a P2, também vai apoiar as ações do GGI.

O GGI é formado pela Guarda Municipal, Secretaria de Mobilidade, Vigilância Sanitária, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal, além da PM e Bombeiros.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.