Governo do Paraná determina fechamento de estabelecimentos não essenciais

Por: - 26 de fevereiro de 2021
Paraná
Governador Ratinho Junior anunciou medidas para enfretamento da pandemia da Covid-19 nesta sexta-feira / AEN

O Governo do Paraná anunciou, na manhã desta sexta-feira (26/2), a suspensão do funcionamento de serviços e atividades não essenciais a partir da meia-noite de sábado (27/2) até 8 de março. Com isso, apenas estabelecimentos essenciais como supermercados, farmácias, açougues, postos de combustíveis e outros poderão funcionar.

O novo decreto amplia o toque de recolher e a circulação de pessoas ficará proibida das 20h às 5h do dia seguinte. Em Maringá, a circulação de pessoas já estava restrita a partir das 21h. “Entendemos que nesses dias será possível segurar essa transmissão que está além do controle”, disse o governador Ratinho Junior (PSD).

As celebrações religiosas presenciais ficam suspensas no Estado. O governo também determinou a proibição da comercialização e consumo de bebidas alcoólicas em espaços públicos ou coletivos das 20h às 5h.

O decreto também suspende as aulas presenciais nas escolas estaduais públicas e privadas. A previsão era que o retorno das aulas presenciais ocorresse em 1º de março na rede estadual.

O governo suspendeu as cirurgias eletivas por 30 dias nos hospitais públicos e privados. Segundo o governo, a medida será adotada para assegurar o estoque de medicamento anestésico e reduzir a demanda por leitos hospitalares.

A orientação é que o trabalho presencial seja substituído pelo regime de teletrabalho. O regime de home office será adotado nos órgãos públicos estaduais.

As medidas valem para todos os municípios. No entanto, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) ano passado, os prefeitos têm autonomia para decidirem quais medidas pretendem adotar. Em Maringá, a prefeitura informou que vai seguir o decreto do governo estadual.

As medidas são adotadas em razão do aumento no número de casos de Covid-19 e internações no Estado. O governador Ratinho Junior (PSD) classificou o atual momento como o mais crítico desde o início da pandemia.

Durante o anúncio, foram apresentados dados sobre a ocupação hospitalar e mortalidade. No Estado, a taxa de ocupação chegou a 94% nos leitos de UTI e 74% nos leitos de enfermaria. O tempo que os pacientes ficam internados também aumentou 11% em fevereiro. A taxa de mortalidade hospitalar é de 23,1%.

Em Maringá, o governo estadual anunciou a criação de 5 leitos de UTI no Hospital Santa Rita e 10 leitos de UTI no Hospital Municipal. Na região, foram criados ou estão com a previsão de abertura, 20 leitos de UTI e 34 leitos clínicos no Hospital Metropolitano de Sarandi.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.