Alunos da PUC-PR protestam contra encerramento dos cursos presenciais em Maringá

Por: - 25 de fevereiro de 2021
Estudantes levaram cartazes e protestaram contra a decisão da PUC-PR / Samira Hassan

Após a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) anunciar o encerramento da oferta de cursos presenciais no câmpus de Maringá a partir de agosto, alunos realizaram protesto na manhã desta quinta-feira (25/2). Os estudantes ficaram posicionados em frente à instituição com cartazes, mantendo o distanciamento social.

A manifestação foi organizada por meio das redes sociais. Os alunos disseram que desejam continuar a graduação na PUC-PR, mas no câmpus de Maringá. “Não podemos ficar calados diante de tamanho descaso, desrespeito e descompromisso com os estudantes, colaboradores e com a educação. Colaboradores e centenas de alunos prejudicados”, afirmaram os estudantes em publicação nas redes sociais.

Veja vídeo da manifestação:

O comunicado sobre o encerramento dos cursos presenciais em Maringá foi feito pelo vice-reitor da PUC-PR, Vidal Martins, por meio de vídeo publicado no site do câmpus. A instituição vai oferecer apenas cursos online na modalidade de Educação a Distância (EaD).

Por meio de nota, a PUC-PR disse que a ideia é “tornar o câmpus Maringá um centro de EaD na região”. O objetivo é intensificar a oferta de ensino na modalidade online em Maringá, concentrando o presencial em Curitiba, Londrina e Toledo. A instituição continuará na cidade com a oferta de cursos de graduação online, como já acontece em Guarapuava, Cascavel e Ponta Grossa.

Na quarta-feira (24/2), um grupo de alunos do 5º ano de direito da PUC-PR de Maringá se reuniu com o vice-reitor, Vidal Martins, o reitor da PUCPR, Waldemiro Gremski, e o Pró-Reitor de Missão, Identidade e Extensão, irmão Rogério Mateucci. Os estudantes discutiram estratégias para a conclusão do curso.

Com o fim da oferta dos cursos presenciais em Maringá, alunos de direito, administração e psicologia, que estão com a graduação em andamento, podem terminar o curso na modalidade presencial no câmpus de Londrina ou concluir a graduação de forma online. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, quem escolher pelo EaD vai pagar mensalidade menor, já que os valores do ensino online são mais baixos.

“Vocês vieram para cá para ter um diploma PUC, com a metodologia PUC e presencial. A gente não quer interromper nada dessas três coisas. O detalhe é que com essa migração para Londrina, a gente terá esse translado toda semana, a partir de agosto, e isso fica absolutamente por conta da instituição: organizar esse transporte e custear esse transporte”, disse o vice-reitor na reunião.

Os representantes administrativos da instituição foram questionados sobre a qualidade e a segurança caso o aluno escolha concluir o curso em Londrina. Segundo Vidal Martins, está garantido o seguro de vida para quem aderir ao transporte semanal. Ele também garantiu a qualidade do ensino e disse que os princípios pedagógicos, metodologias e estruturação dos currículos docente são iguais para todos os câmpus da PUC-PR.

Os alunos do 5º ano de direito ressaltaram que o tempo gasto para o translado até Londrina, que fica a 98km de Maringá, prejudica os estudantes, principalmente aqueles que moram em cidades vizinhas.

Preocupados com os possíveis impactos da mudança, os estudantes informam sobre a importância do tempo em relação ao Trabalho de Conclusão de Curso (TCCC) e o Exame da Ordem aplicado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), avaliação necessária para o exercício da advocacia.

Confira a gravação completa da reunião feita por uma das alunas: