Procon de Maringá realiza vistorias em lojas e orienta sobre direitos dos consumidores

Por: - 4 de fevereiro de 2021
Procon
Em primeiro dia de vistorias, Procon não registra notificações ou multas/ Divulgação

Nesta quarta-feira (3/2), o Procon de Maringá iniciou vistorias nos comércios de rua e shoppings da cidade. A ação teve início na sede do Procon, na Avenida Horácio Racanello Filho, próximo ao Terminal Urbano. No primeiro dia de vistorias não houve notificação ou multa.

Durante as vistorias, os fiscais verificam se os produtos das vitrines informam o preço aos consumidores, se o estabelecimento orienta sobre a troca de produtos e se, em caso de promoções, há cartazes informando. Além disso, é verificado se os contatos do Procon e o Código de Defesa do Consumidor estão à disposição dos consumidores da loja.

A coordenadora do Procon de Maringá, Patrícia Parra, informou que as vistorias vão ocorrer durante todo o mês de fevereiro. Segundo ela, apesar do número considerável de reclamações, o objetivo principal é a orientação do comerciante.

“O consumidor precisa ter acesso às informações sobre formas de pagamento, os produtos precisam estar precificados, ter acesso ao código de defesa do consumidor”, explicou Parra.

Somente no primeiro mês de 2021, o Procon de Maringá registrou 2.075 procedimentos, além de ações como pesquisa sobre material escolar, questionamento para escolas particulares sobre pedidos de materiais, entre outros. Para o mês de fevereiro, o órgão de defesa do consumidor tem agendado 1.316 procedimentos.

Novas ações estão sendo planejadas, como coleta de amostras de combustíveis para testes, pesquisa sobre Ovos de Páscoa, atualização de preços da cesta básica, ação sobre direitos e deveres do comércio abordando lojas de rua e de shoppings, entre outras.

O Procon também vai realizar pesquisa sobre pescados, já que o consumo de peixe aumenta na Semana Santa. Os fiscais registram os preços praticados agora e comparam com os valores praticados nas vésperas da Semana Santa.

O órgão continua atendendo ao público com protocolos de prevenção ao coronavírus. Álcool em gel disponível, distanciamento entre atendentes, guichês de atendimentos e controle do fluxo de pessoas são algumas das medidas adotadas e que reduzem riscos de contaminação.

Campeãs de reclamações no Procon

Das cinco campeãs de reclamações no Procon maringaense em 2020, três são companhias telefônicas, somando quase 11% do total de 20,4 mil atendimentos feitos no ano passado. Por isso, Patrícia Parra prepara projeto com foco especial na redução de problemas do segmento.

Ela destacou a rejeição do estabelecimento na troca do produto. “Quando ele [produto] vem com defeito, muitos não prestam assistência técnica, e justificam dizendo que falta peças para a manutenção”, disse a coordenadora, que também orienta o consumidor a procurar o órgão para dirimir o conflito.

Além disso, Parra afirmou que a maioria dos os casos são resolvidos. “Temos uma alta taxa de resolutividade, de 96%, o que dá confiança para o consumidor nos procurar quando há algum problema”, explicou.

Para atendimento no Procon, os interessados devem levar documentos como RG, CPF ou CNH, comprovante de endereço, documentos relacionados ao caso, boletim de ocorrência em caso de crime, procuração no caso de tratar de problemas de terceiros.

O consumidor pode entrar em contato com o Procon por meio do (44) 98402-0433 para denúncias e 151 para atendimento. Ainda, por meio do e-mail [email protected] ou pelo aplicativo Procon na Mão.