Desde o inicio do novo calendário epidemiológico, Maringá soma 52 casos confirmados de dengue

Por: - 17 de dezembro de 2020
Imagem ilustrativa/ Freepik

No último Boletim Semanal da Dengue, divulgado nesta terça-feira (15/12), Maringá soma 193 notificações. O número de casos confirmados desde o começo do calendário epidemiológico 2020/2021, que teve inicio em agosto deste ano, é de 52 casos.

No mesmo período do calendário epidemiológico 2019/2020, Maringá tinha registrado 1014 notificações e 48 casos confirmados de dengue.

De acordo com o Boletim Semanal da Dengue da Secretaria da Saúde do Paraná, entre 11 de setembro e 17 de dezembro de 2018, o município não registrou nenhum caso confirmado de dengue. No entanto, teve 229 notificações.

A coordenadora das ações do Programa Municipal de Controle da Dengue (PMCD) do Município de Maringá, órgão da Secretaria Municipal de Saúde responsável pelas ações e serviços públicos voltados para a vigilância, prevenção e controle da Dengue, Suelen Teixeira Faria, explica que neste próximo período há uma grande chance de haver uma nova epidemia da dengue, já que no calendário anterior foram registrados diversos casos no estado do Paraná.

“Por isso a gente já começou a fazer limpezas em alguns bairros, para que a gente tente evitar uma nova epidemia”, conta a coordenadora das ações do Programa Municipal de Controle da Dengue (PMCD) do Município de Maringá.

Dengue no Paraná

O Boletim Semanal da Dengue divulgado nesta terça-feira (15) pela Secretaria da Saúde do Paraná registrou 128 novos casos da doença. O período epidemiológico, que teve início em agosto, soma até agora 1.375 diagnósticos, além de 3.663 que seguem em investigação.

O Paraná tem 14.718 notificações para a dengue distribuídas em 313 municípios das 22 Regionais de Saúde do Estado. “Nas últimas semanas a análise epidemiológica tem registrado redução no número de casos confirmados da dengue, mas isso não é sinal para baixarmos a guarda, porque o vírus está circulando no Estado”, diz o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

“O verão tem início na semana que vem, a estação traz mais chuvas e sabemos que isso é condição favorável para aumentar a proliferação do mosquito transmissor. Então, neste momento devemos redobrar o alerta contra a dengue com a eliminação dos focos e criadouros do mosquito transmissor da doença”, afirma o secretário.

De acordo com o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, o Paraná apresenta hoje a incidência de 9,53 casos de dengue por 100 mil habitantes.

A coordenadora de Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde, Ivana Belmonte, explica que este índice tira hoje o Paraná do cenário crítico da dengue. “Mas não tira a situação de atenção da Secretaria da Saúde e dos gestores municipais. O cuidado deve acontecer agora, temos que nos mobilizar para que o problema não evolua nos próximos meses”, afirma.

Ela diz que, com o advento da pandemia da Covid-19, a Secretaria vem orientando os gestores para que realizem um trabalho educativo junto à população, reforçando a importância da remoção dos criadouros nas residências. “Não existem fórmulas mágicas para acabar com a dengue. A eliminação dos criadouros nos ambientes internos e externos dos domicílios é fundamental para que não tenhamos nova epidemia de dengue no período 2020/2021”, reforça Ivana.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.