Greve dos motoristas de ônibus começa em Maringá. Sindicato diz que cumpre ordem judicial dos 70%. TCCC alega que houve ação ilegal

Por: - 16 de setembro de 2020
TRT determina que 70% dos motoristas devem trabalhar / Divulgação

Nesta quarta-feira (16/9), à 0h, começou a greve dos motoristas de ônibus das empresas Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC) e Cidade Verde, que atendem ao município de Maringá e linhas metropolitanas.

Uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª região determinou a manutenção de 70% do contingente de motoristas em atividade durante a paralisação.

Segundo o diretor executivo da TCCC, Armando Roberto Jacomelli, o sindicato descumpriu a determinação, que permite a empresa utilizar 70% dos motoristas, ao impedirem a saída dos veículos da garagem com o fechamento dos portões.

“A gente ia começar o trabalho hoje (quarta-feira), cumprindo a determinação, mas eles, arbitrariamente, fecharam os portões da garagem e impediram a saída”.

De acordo com o dirigente do Sinttromar, Emerson Viana Silva, os trabalhadores da TCCC e da Cidade Verde atenderam além da determinação do TRT. O sindicato suscitou, através de uma notificação extrajudicial, a apresentação das escalas e números de trabalhadores que estão prestando serviço.

“A liminar está sendo atendida, a população está sendo atendida. Ao contrário do que tem declarado os representantes da empresa, que também não facilitaram, e que, até agora, não apresentaram o número de trabalhadores de forma fidedigna”, diz o dirigente.

A greve foi aprovada em assembleia da dos motoristas realizada na quarta-feira (9/9)As pautas aprovadas em assembléia pelo Sindicato dos Motoristas Condutores de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Empresas de Transporte de Cargas, Passageiros Urbanos, Motoristas, Cobradores de Linhas Intermunicipais, Interestadual e de Turismo e Anexos de Maringá (Sinttromar) dispõem:

  • Abertura das negociações salariais;
  • Renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT);
  • Garantia do pagamento da Participação dos Lucros e/ou Resultados (PRL);
  • Melhores condições de saúde e segurança da categoria.

A data-base da categoria venceu em junho, mas até o momento não houve acordo sobre o reajuste. Segundo Silva, a empresa também informou que não vai pagar a segunda parcela da participação dos resultados, prevista para setembro.

O vídeo abaixo mostra que a Polícia Militar foi chamada até o portão da garagem da TCCC, onde negociou a liberação de veículos com representantes do Sinttromar.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.