Jovem atropelada por trem e bailarina Magó recebem homenagens no fim de semana do Dia Internacional da Mulher

Por: - 2 de março de 2020
Da esquerda para direita, Anna Júlia Szielasko e Maria Glória Poltronieri. Jovens mortas recebem homenagens na semana do dia Internacional da Mulher/ Colagem

No sábado (7/3), a adolescente Anna Júlia Szielasko, 17 anos, morta em um acidente de trem, vai ser homenageada por amigos e familiares no Centro de Convivência Renato Celidônio, a Praça da Prefeitura. No domingo (8/3), Dia Internacional da Mulher, a bailarina Maria Glória, violentada sexualmente e encontrada morta em uma cachoeira próxima a Mandaguari, também recebe homenagem. Vai ser no gramado da Praça da Catedral.

A mãe de Anna Júlia esteve nesta segunda-feira (2/3) na Prefeitura de Maringá. Ela foi  solicitar o uso do espaço para que que sejam realizadas homenagens em memória da filha morta na segunda-feira (24/2).

Os amigos e familiares da jovem vão e reunir a partir das 14h ao lado da Prefeitura de Maringá. Mobilizados em grupos nas redes sociais, os jovens montaram cartazes e pretendem distribuir panfletos no local.

No domingo, Dia Internacional da Mulher, tem homenagem à jovem Magó. Vai haver uma confecção coletiva de um painel de cerâmica com o uso da técnica do mosaico. A técnica consiste em juntar pequenas peças de pedra ou outro material para formar desenhos.

Entre 8h e 11h de domingo, vai ser distribuído argila para a criação das peças que vão compor a obra. A ideia é de que todas juntas formem a figura da Magó dançando. Depois, as peças vão ser queimadas e inseridas em um local publico, a ser definido.

O tamanho das peças que vão ser confeccionadas não são de aproximadamente 12 cm de diâmetro, mas podem ter diferentes formatos. Quem achar mais prático pode fazer a peça em casa e levar pronta no domingo (8/3).

Casos continuam em investigação

Tanto o caso da jovem atropelada pelo trem, quanto o caso da bailaria Magó, continuam em investigação pela polícia. Mesmo com o principal suspeito pela morta da bailaria sendo preso na sexta-feira (28/2), a polícia acredita que possam ter outros envolvidos na morte.

O caso da adolescente, caloura de história na Universidade Estadual de Maringá (UEM), continua em investigação pela polícia sem nenhum preso ou apreendido.

Na ocasião do atropelamento bombeiros foram acionados, mas a jovem não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O Instituto Médico-Legal (IML) disse que a vítima sofreu traumatismo craniano e teve uma perna e um braço amputados.

Um jovem menor de idade que estava junto com a garota e o maquinista da locomotiva foram levados para a Delegacia de Maringá para prestar depoimento.

Segundo o jovem, os dois haviam ingerido bebida alcoólica e voltavam de uma festa de carnaval. Ambos iam em direção a uma plantação de girassóis, na madrugada de domingo (23/2), quando pararam para sentar na linha férrea.

Ao perceber a aproximação do trem, o adolescente afirmou à polícia que tentou avisar a jovem que não conseguiu escapar a tempo. Por outro lado, em depoimento, o maquinista informou que tudo aconteceu muito rápido e não pode perceber como foi o ocorrido.

A polícia não descarta que possa ter sido um crime e não um acidente.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.