Vaquinha Virtual garante reforma da Biblioteca do Colégio Estadual Juscelino Kubitschek

18 de novembro de 2019
Comunidade ajuda a reformar biblioteca de colégio público/ Arquivo pessoal

A Biblioteca do Colégio Estadual Juscelino Kubitschek foi totalmente reformada por meio de uma Vaquinha Virtual. A ação foi organizada pelo empresário Anníbal Bonemer Azevedo da Rocha e conseguiu atingir a meta com doações pela internet e outras parcerias.

A Vaquinha Virtual criada no dia 27 de agosto conseguiu arrecadar o valor de R$ 4.915,00. O valor foi doado por 118 pessoas. O dinheiro arrecadado correspondeu a 49,15% do esperado, de R$ 10 mil. O restante veio de doações de materiais e serviços. A ideia era que todo o valor viesse de pessoas físicas, mas a plataforma dificultou o objetivo.

“O site só aceita a doação mínima de R$ 25. Minha ideia inicial era de que ao menos mil pessoas doassem R$ 10, o que não ficaria pesado para ninguém, porém a plataforma infelizmente não ajudou.” conta.

Sobre as doações, o empresário relembra as comemorações a cada contribuição. “Ficava vendo as doações que chegavam na vaquinha. Quando doavam cem reais, pensava, ‘esse doou por dez pessoas’. Aí uma pessoa só doou mil reais, dei risada e pensei, ‘bem, esse doou por cem'”

A ideia de arrecadar recursos para reformar o espaço surgiu da escola de liderança RenovaBR, que Anníbal da Rocha participa na Universidade Estadual de Maringá (UEM). O desafio proposto era de transformar um espaço que tivesse alguma ligação com a história do participante e que defendesse algo que ele acreditasse.

A Biblioteca do Colégio Estadual Juscelino Kubitschek era importante para Anníbal porque carrega o nome do seu avó, Anníbal Bianchini da Rocha, pioneiro e diretor da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná.

“Acredito que a educação pode transformar o indivíduo, por isso quis fazer algo nesta área. Aí lembrei de um colégio público onde a biblioteca tinha o nome do meu avô. Decidi ir lá e levantar as demandas que eles necessitavam”, relembra o empresário.

No local, ele identificou a necessidade de melhorias em pontos específicos, como reparos de infiltrações, pintura do espaço e a instalação de aparelhos de ar-condicionado.

“O principal que todos apontaram foi o ar-condicionado. Era praticamente inviável ficar naquele local sem o aparelho. Os vidros tinham que ficar fechados por causo do barulho e isso tornava o ambiente muito quente”, comenta Rocha.

Agora, com a reforma concluída, a biblioteca conta com dois aparelhos de ar-condicionado, cadeiras estofadas e renovadas, móveis novos, tapete, cantinho da leitura e uma decoração feita por uma artista local.

Para Michel e Ana Carolina, alunos do 6º ano D, a reforma fez muita diferença. Os alunos fizeram questão de deixar um recado no mural de avisos do local.

Michel escreveu: “adoramos a biblioteca nova do JK. Muito obrigado”. Ana Laura disse que o lugar ficou mais prazeroso para os alunos: “A biblioteca se tornou mais agradável com as modificações. Obrigada”.

Veja abaixo parte do trabalho feito pela artista Sophia Egoroff na biblioteca.