Com apartamentos a partir de R$ 128 mil, Villagio Azaleia é o primeiro prédio em Zonas Especiais de Interesse Social

Por: - 5 de novembro de 2019
Villagio Azaleia será construído em uma área nobre da cidade, próximo ao Horto Florestal e o Hospital Paraná / Divulgação PRC Empreendimentos

A Prefeitura de Maringá anunciou no final de outubro a construção das primeiras unidades habitacionais nas Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis). São 176 apartamentos, dos quais 88 vão custar R$ 128 mil e o restante varia até R$ 178 mil. O objetivo é atender, preferencialmente, famílias cadastradas na fila de espera por uma casa própria em Maringá.

As primeiras unidades habitacionais vão ser construídas pela PRC Empreendimentos em uma área nobre da cidade, na Rua das Azélias, próximo do Hospital Paraná e do Horto Florestal. Os apartamentos do Villagio Azaleia vão ter dois quartos, com área privativa de 47,70 m² e uma vaga na garagem. A área de lazer conta com dois espaços gourmet, playground, quadra poliesportiva, praças e sete bike stations.

Os contratos vão ser financiados pelo programa “Minha Casa Minha Vida” da Caixa Econômica Federal. Nos primeiros 30 dias, a exclusividade de atendimento é para as famílias cadastradas na prefeitura. Após isso, o empreendedor pode atender outras famílias, desde que tenham renda familiar de até seis salários mínimos e se enquadrem no programa Minha Casa Minha Vida.

O projeto do Villagio Azaleia é divido em 11 blocos. O primeiro e o segundo blocos são compostos por térreo e mais quatro andares e os outros são térreo e mais três pavimentos. No total, são 16 apartamentos por bloco. As obras já começaram e a construtora tem até dois anos para entregar as unidades habitacionais.

São 176 apartamentos divididos em 11 blocos / Divulgação PRC Empreendimentos

O diretor da PRC Empreendimentos, Raphael França, explica que os imóveis tem um preço mais baixo do praticado na região, a partir de R$ 128 mil, para as famílias cadastradas e que se manifestarem no prazo. Além de estarem inscritas na fila de espera do município, as famílias precisam demonstrar interesse indo até o plantão de vendas na Rua das Azaleias, 1053, com a documentação. A aprovação de crédito é feita pela Caixa Econômica.

As Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis) são a inclusão, no zoneamento das cidades, de terrenos destinados à habitações de interesse social. É comum que moradias populares sejam construídas em regiões de periferia, mas nas Zeis os terrenos são próximos ao centro e o município não precisa investir em asfalto, saneamento, escola, posto de saúde e outros equipamentos necessários em novos bairros.

O primeiro lote anunciado pela prefeitura é o resultado de um chamamento público realizado com proprietários. O município permite a mudança no zoneamento, mas em contrapartida a área deve ser destinada, dentro de um prazo estabelecido, às famílias cadastradas na prefeitura que buscam a casa própria.

No terreno da Rua das Azélias, por exemplo, a prefeitura alterou o zoneamento e permitiu a construção verticalizada de térreo e mais quatro pavimentos. Originalmente, pelo zoneamento era permitido apenas a construção de térreo e mais um pavimento.

“A PRC sempre esteve focada em construção de moradias populares e com este programa viabilizou a construção em um terreno muito bem localizado que a construtora possuía. A lei otimizou o potencial construtivo do lote, viabilizando a construção de moradias populares”, afirma o diretor da construtora, Raphael França.

Segundo ele, a PRC está em busca de novas áreas e pretende participar de outros chamamentos públicos para construção de moradias populares. A fila de espera em Maringá por uma casa própria é de 7 mil famílias.

“Entendemos que o programa possibilita empreendimentos que contribuem para o bem comum, diminuindo os vazios urbanos e proporcionando moradia de qualidade para famílias com baixa renda, além de incluir essas famílias em áreas urbanizadas e bem localizadas, diminuindo a evasão dos habitantes para as cidades limítrofes”, diz França.

Segundo o diretor de Habitação da Secretaria de Planejamento Urbano (Seplan), Celso Márcio Lorin, a mudança de zoneamento é o que chama atenção dos proprietários de terrenos. Ele explica que a construção em Zeis é uma espécie de incentivo do município para inciativa privada, diferentemente de outros programas habitacionais, como as casas entregues em Iguatemi, onde os imóveis são construídos com recursos do município.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.