Secretário de Saúde diz que médico não foi flagrado reutilizando equipamentos cirúrgicos no Hospital Municipal de Maringá

Por: - 22 de outubro de 2019
Secretário de Saúde Jair Biatto concedeu coletiva nesta terça-feira / Divulgação PMM

Equipamentos para cirurgia urológica encontrados no Hospital Municipal de Maringá na segunda-feira (21/10) e que deveriam ser jogados no lixo após o uso, estavam em uma caixa que o médico terceirizado tinha levado para cirurgia naquele dia. A informação é do secretário de Saúde, Jair Biatto. Segundo ele, não é possível dizer se os materiais de uso único foram reutilizados.

“Estava dentro da caixa dele. Se ele reutilizava isso em outro lugar ou em outro hospital [não sabemos], não foi pego reutilizando esse material. Nem sabemos se foi reutilizado naquele paciente ou seria reutilizado em outro lugar, porque estava na caixa cirúrgica do prestador”, afirmou Biatto.

O secretário de Saúde preferiu não informar quais eram os materiais, mas disse que se tratavam de equipamentos próprios do médico. “Alguns materiais vem do instrumental próprio do médico, é uma rotina não só do Hospital Municipal, mas de outros hospitais. Quando o material é muito específico, o profissional leva o material, chega, utiliza e leva de volta. Nós não controlamos materiais específicos dos médicos”.

Os equipamentos cirúrgicos foram encontrados na segunda-feira (21/10) durante fiscalização da Vigilância Sanitária Estadual. Na manhã desta terça-feira (22/10), o município informou que registrou boletim de ocorrência contra o médico terceirizado. Além disso, o contrato com o profissional foi encerrado e a Secretaria de Saúde instaurou procedimento administrativo para apurar os fatos.

Segundo Jair Biatto, os atendimentos urológicos que estavam programados serão remarcados. O médico presta serviço para o município há alguns anos e realiza cerca de três a quatro cirurgias urológicas por mês no Hospital Municipal.

“Não tivemos problema com esse profissional do ponto de vista de paciente, como casos de infecções, complicações no procedimento cirúrgico, não temos dados de que ele tinha esse processo de utilizar material reutilizado. Agora, quem vai investigar é o Gaeco e o Ministério Público. Nós vamos organizar nossos processos para que isso facilite o controle da Secretaria de Saúde”, disse o secretário.

Secretaria de Estado da Saúde fala em crime à saúde pública

Segundo o secretário municipal de Saúde, Jair Biatto, a fiscalização de rotina no Hospital Municipal estava marcada há algum tempo. No entanto, a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde do Estado informou que a Vigilância Sanitária Estadual participou da fiscalização a pedido do Ministério Público.

De acordo com a assessoria de imprensa, foram identificadas irregularidades em três equipamentos para cirurgia urológica. “Houve apreensão desses equipamentos e foram feitos apontamentos que serão encaminhados ao MP, mas já foi identificado crime à saúde publica”, afirmou a assessoria. Apesar disso, o Estado não atua no caso por se tratar de um município de gestão plena.

A situação também é investigada pela Promotoria da Saúde de Maringá, que não se posicionou sobre o assunto. O Ministério Público do Paraná, por meio da assessoria de imprensa, disse que a presença de representantes do órgão no Hospital Municipal de Maringá na segunda-feira (21/10) se refere a uma investigação sob sigilo e que não poderia fornecer informações.

No final de setembro, três pessoas foram presas em Maringá na Operação Autoclave, desencadeada pela Polícia Civil. Elas eram suspeitas de participar de um esquema criminoso que reaproveitava materiais de uso único em cirurgias urológicas. O secretário de Saúde, Jair Biatto, disse acreditar que o caso do Hospital Municipal não está relacionado a investigação da Polícia Civil.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.