Estudantes da UEM conhecem desafio ambiental da Cocamar. O que fazer com as cinzas das caldeiras?

Por: - 21 de maio de 2019
Equipe da Cocamar faz apresentação do desafio aos estudantes da UEM / Divulgação

O que fazer com as cinzas das caldeiras geradas na Cocamar? Este é o desafio ambiental apresentado aos estudantes da Universidade Estadual de Maringá (UEM) na segunda edição do projeto Direto do Campus. A busca é por uma resposta com viabilidade em termos de logística, mercado, custos e dentro da legislação.

A proposta foi levada aos universitários nesta segunda-feira (20/5), dentro do projeto organizado pela Cocamar em parceria com a UEM e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Na hora da inscrição, os acadêmicos dos cursos de gestão, agrárias e engenharias da UEM não sabiam qual seria o desafio específico, apenas que seria uma solução ambiental para o descarte de resíduos industriais.

Agora, receberam a notícia de que precisam pensar nas cinzas das caldeiras. Agora, até a primeira semana de julho, os estudantes vão receber mentorias nas áreas de mercado e negócios, processos e insumos, e legislação ambiental. A apresentação final dos projetos, para uma banca avaliadora, está prevista para ocorrer em 23 de julho.

“Toda indústria, todo processo produtivo, acaba por gerar resíduos e impactar o meio ambiente. Se encontrarmos uma solução, através dos alunos da UEM, podemos criar um produto, inclusive um mercado, quem sabe gerando empregos e renda para a nossa região”, espera a coordenadora ambiental na Cocamar, Natália Cavalini Paganini.

Estudante do 3º ano de Engenharia Ambiental, Paula Leão, viajou de Umuarama para Maringá com os amigos da empresa júnior Preservare para participar do desafio.

“É muito interessante as empresas virem atrás da universidade, colocar a gente para entrar no mercado de trabalho e pôr em prática o que aprendemos”, aponta. A problemática das cinzas industriais é algo que ela diz ver muito durante as aulas, o que pode ajudar seu time. “Queremos ir bem longe nesse desafio.”

Na primeira edição do Direto do Campus, no segundo semestre de 2018, os alunos de Engenharia de Alimentos da UEM foram desafiados a desenvolver uma bebida vegetal, um néctar ou um fermentado não alcoólico com matérias-primas produzidas por cooperados.

Para isso, receberam uma caixa, na qual pelo menos um ingrediente deveria ser usado. No fim, demonstraram o produto pronto, incluindo sugestão de embalagem, com informações como tabela nutricional. O vencedor foi um “suco bronzeador”, com cenoura e beterraba na receita.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.