Natália Meira Celeste, aluna de engenharia civil que morreu em obra, morava em Cianorte e encarava todos os dias a PR-323

Por: - 17 de maio de 2019
Natália Meira Celeste, 20 anos, aluna de Engenharia Civil da UniCesumar, morava em Cianorte e ia para Maringá todos os dias para estagiar e estudar / Arquivo Pessoal

Natural de Cianorte, Natália Meira Celeste, 20 anos, morava na cidade natal com a família e encarava todos os dias os perigos da PR-323 para estudar e trabalhar em Maringá. Durante o dia, fazia estágio na construção do bloco de medicina da UniCesumar, e à noite, cursava o 4º ano de Engenharia Civil na instituição.

O corpo de Natália, que morreu durante acidente com a instalação de lajes na construção do Bloco 12, no centro universitário, foi sepultado por volta das 17 horas tarde desta sexta-feira (17/5), em Cianorte, onde também foi realizado o velório.

Antes de entrar na graduação em Engenharia Civil, Natália estudava no Colégio Drummond de Cianorte. Dedicada aos estudos, em 2015, a jovem passou em sexto lugar no Processo Seletivo de Avaliação Seriada (PAS) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) no curso de Engenharia Ambiental, no campus de Umuarama.

Na UniCesumar, ela ficou em 13º lugar no vestibular de Engenharia Civil, onde iniciou a graduação em 2016. Ela terminaria o curso no final de 2020.

A Associação Atlética Acadêmica X de Junho da UniCesumar, que engloba os cursos de Arquitetura e Urbanismo e as engenharias, prestou condolências aos familiares e amigos de Natália Meira, em publicação na página do Facebook.

A atlética também convidou todos os alunos do centro universitário a se reunirem na praça da instituição para prestar homenagem à jovem. Na noite desta quinta-feira (16/5), e na manhã desta sexta-feira (17/5), durante o intervalo das aulas, centenas de estudantes, além de colaboradores da UniCesumar, se reuniram no local e oraram por Natália.

Estudantes da UniCesumar prestam homenagem à colega / Reprodução

Um dos hobbies da estudante era assistir séries, como Grey’s Anatomy, Sam & Cat e BlindSpot. Na música, gostava de ouvir Tiago Iorc, dentre outros cantores. Natália completaria 21 anos no dia 15 de setembro deste ano.

Em seu perfil no Facebook, familiares e amigos eram só elogios para a jovem. Em uma foto do perfil de Natália publicada em 2014, a mãe, Zuleica Meira, comentou: “Amor, eu te vejo cada dia mais linda e responsável. Uma filha que me dá muito orgulho, amo você. Conte comigo sempre”.

Natália tem uma irmã gêmea, Camila Meira Celeste, e outra mais nova, Maria Eduarda Meira Celeste. No dia 1º de fevereiro deste ano, ela publicou foto com a caçula, que estava fazendo aniversário. Na legenda, demonstrou todo o carinho pela irmã. “Parabéns Duda, te desejo tudo de melhor que tem no mundo, que você continue sendo essa menina incrível. Agradeço todos os dias por Deus ter me dado você como irmã. Te amo muito.”

A estudante namorava Matheus Meneghetti desde julho de 2016. O jovem, que também é de Cianorte e estuda em Maringá, está no 4º ano de Engenharia Mecânica na UniCesumar. Na tarde desta sexta-feira (17/05), a foto do perfil pessoal do Facebook de Meneghetti era de luto. Ele também publicou uma foto com Natália.

A estudante de Engenharia Civil, Natália Meira Celeste, namorava Matheus Meneghetti desde julho de 2016 / Aquivo Pessoal

Na legenda da foto, Matheus Meneghetti fala do amor dos dois: 

“Oi amor da minha vida! Escolhi essa foto pois ela representa exatamente o que você é, esse seu sorriso espontâneo cheio de alegria, esse seu jeito encantador que cativa a todos. É difícil escrever algo assim, é difícil de entender porém temos que confiar em Deus e confiar em seus planos. Esses quase três anos que passamos juntos foi sem dúvida os melhores da minha vida. Você, com esse seu jeitinho carinhoso, sempre do meu lado e me apoiando. Vai ser difícil me acostumar sem você, mas tenho certeza que sempre estará do meu lado, como sempre fez. Quero te dizer que EU TE AMO DEMAIS e sempre vou te amar, não vou passar um dia se quer sem me lembrar e sem conversar com você em meus pensamentos. Você era e vai continuar sendo tudo pra mim. Descansa em paz meu amor, que Deus te receba de braço abertos, pois você já foi entregue a ele. Eu te amo e sempre vou te amar minha eterna namorada!”

Mari Meira, prima de Natália, publicou uma mensagem em seu perfil pessoal no Facebook na noite desta quinta-feira (16/5) e lamentou a perda: “Não é fácil perder a quem amamos, fica um vazio, um adeus constante, tantos porquês, tantas lembranças. Tanto amor, tanta saudade. Mas tenha uma certeza: não foi um adeus… é somente um até breve”. Nos comentários, a prima recebe apoio de familiares e amigos.

Newsletter Briefing
O que aconteceu de importante em Maringá, todo início de noite no seu email.
Saiba mais ou cadastre-se:

A estudante de moda do polo de Cianorte da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Gabriela Trentin, 20 anos, era amiga de Natália Meira. Ela publicou story em seu perfil no Instagram, em homenagem à amiga.

“Ainda sem acreditar, mas agradecida por ter você na minha vida. Com certeza sua luz nunca se apagará, será sempre lembrada pelo seu carinho, pela sua amizade. Te amo para sempre. Sempre feliz, sempre apoiando, sempre do nosso lado, sempre meiga, sempre companheira, sempre positiva, sempre amiga, sempre Natália e seu jeitinho, sempre nós, sempre você”, declarou.

Outra amiga de Natália, Karoline Garrido Vela, estudante de medicina em Ciudad Del Este, também lamentou a morte da jovem no story de seu perfil no Instagram.

“A importância que você tem na minha vida nunca vai mudar, eu sempre vou te amar, sempre vou lembrar de você sorrindo e trazendo alegria para mim”. E completou com uma frase, de autoria atribuída à Mário Pereira Gomes, que diz: “Ame, beije, diga eu te amo, mande flores, abrace. Faça tudo isso hoje, pois este é o único dia para você viver!”.

Natália Meira Celeste morreu nesta quinta-feira (16/5) em um acidente que ocorreu durante a instalação de lajes pré-moldadas no 5º andar do Bloco 12, em construção na UniCesumar. A estagiária estava no 2º andar da construção e foi atingida pelas estruturas que caíram em efeito cascata. Dois operários também ficaram feridos.

Joelson Trevisan Pires, 27 anos, está na Santa Casa de Maringá e permanece na UTI em estado grave, segundo boletim médico. Antônio Sérgio Fernandes, 30 anos, que recebe atendimento no Hospital Universitário Regional de Maringá, continua consciente, orientado, em observação neurológica. Realizou tomografia e se encontra em bom estado geral.

Em nota oficial divulgada nesta sexta-feira (17/5), a UniCesumar informou que “tem acompanhado o estado de saúde dos dois funcionários envolvidos no acidente do prédio em construção, no campus de Maringá, na quinta-feira (16/5)”, e acrescentou que “esse é um momento de profunda consternação e comoção para a comunidade acadêmica e a prioridade da Instituição é continuar prestando todo o apoio às vítimas e familiares”.

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.