Queda de laje no Bloco 12, em construção na UniCesumar, mata estudante de engenharia civil

Por: - 16 de maio de 2019
Local do acidente com morte no Bloco 12 da Unicesumar / Divulgação Defesa Civil

Um acidente durante a instalação de lajes pré-moldadas no 5º andar do Bloco 12, em construção na UniCesumar, deixou dois operários feridos e provocou a morte da estudante do 4º ano de Engenharia Civil da instituição e estagiária da obra, Natália Meira Celeste, 20 anos. Ela estava no 2º andar da construção e acabou atingida pelas estruturas que caíram em efeito cascata.

Natália era estudante do 4º ano de Engenharia Civil da Unicesumar / Arquivo Pessoal

Natália foi socorrida pelos socorristas do Corpo de Bombeiros de Maringá, que conseguiram reanimar a vítima, que se encontrava em parada cardíaca, no local do acidente. Ela havia ficado presa entre os entulhos. A jovem estudante de Engenharia Civil foi levada para a Santa Casa de Maringá, onde faleceu por volta das 12 horas.

Newsletter Briefing
O que aconteceu de importante em Maringá, todo início de noite no seu email.
Saiba mais ou cadastre-se:

O acidente na obra aconteceu às 10 horas, durante o trabalho de instalação das lajes pré-moldadas pela Rotesma Indústria de Pré-Fabricados de Concreto LTDA. Dois operários que atuavam na instalação também ficaram feridos. Um deles foi encaminhado para a Santa Casa de Maringá. Joelson Trevisan Pires, 27 anos, sofreu um trauma em face, se encontra em estado grave e vai passar por cirurgias no hospital.

O outro operário é Antônio Sérigo Fernandes, 20 anos. Ele sofreu ferimentos na cabeça e foi encaminhado para o Hospital Universitário de Maringá. O último boletim médico informa que ele passou por exames e vai permanecer em observação neurológica.

Segundo a Defesa Civil, que acompanhou o trabalho de resgate no campus do Centro Universitário, a empresa concluiria a instalação das lajes nesta quinta-feira (16/5). O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) também acompanha o caso. A Defesa Civil de Maringá divulgou um vídeo do local onde aconteceu a queda da laje.

Por meio de nota oficial divulgada à impresa, a UniCesumar lamentou “profundamente o ocorrido, e está prestando todo o apoio e investigando as causas.” Veja abaixo a nota oficial divulgada na tarde desta quinta-feira (16/5).

Nota oficial da UniCesumar

“É com pesar e consternação que a UniCesumar informa que na data de hoje (16/05) ocorreu um acidente no prédio em construção, com a queda de uma peça de laje pré-moldada.

O acidente ocorrido por volta das 10 horas da manhã feriu dois funcionários da empresa terceirizada, que se encontram hospitalizados. Também foi atingida pela queda da laje uma aluna do 4º ano de Engenharia Civil da Instituição, que realizava estágio na obra, e infelizmente não resistiu aos ferimentos, vindo a óbito por volta das 12h30, na Santa Casa de Maringá.

Informamos ainda que a empresa terceirizada, contratada para realização da obra, Rotesma Indústria de Concreto Pré-Fabricado Ltda, é uma empresa com mais de 40 anos no mercado e conta com alto grau de credibilidade e também providenciará todos os esclarecimentos técnicos necessários. Além disso, a UniCesumar mantém uma auditoria terceirizada, permanente na obra, com a finalidade de garantir os procedimentos técnicos.

É certo que um acontecimento como este exige tomada de providências para verificação das razões do ocorrido, o que desde já está sendo feito.”

O que diz o Crea-PR

Por meio de nota, no começo da tarde desta quinta-feira (16/5), o Crea-PR informou que a “obra estava regular no órgão federal, com empresas habilitadas e responsáveis técnicos.”

O Crea-PR também informou que a construtora Rotesma se encontra em situação regular e que um laudo mais detalhado sobre o acidente vai ser feito para “a fiscalização da conduta ética do profissional responsável pela construção do bloco, além de outros profissionais responsáveis por outras etapas da obra.”

Para confeccionar o documento, vão ser solicitados os laudos do acidente feitos pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Polícia Civil.

“A análise poderá identificar se houve falha humana do profissional que responde pela obra. Se isso for confirmado, o Engenheiro poderá sofrer advertência reservada ou pública e, em última instância, ter o registro profissional cassado pelo Crea”, informou a nota do Conselho.

  • Reportagem atualizada às 15h27 com informações sobre a fiscalização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná. Nova atualização foi feita às 16h08 com a inclusão da nota oficial da UniCesumar. 

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.