Com tema “Fora Bolsonaro”, 8ª Parada LGBT de Maringá vai ser realizada no domingo (19/5)

Por: - 7 de maio de 2019
Parada LGBT de Maringá ocorre no domingo (19/5) a partir das 12h / Reprodução Facebook

O visível clima de festa da Parada LGBT de Maringá, que vai ser realizada no domingo (19/5) não vai deixar de lado o tom político do evento. O ato chega a 8ª edição com o tema “Fora Bolsonaro” e o slogan “Se fere nossa existência seremos resistência”, frase que viralizou nas redes sociais após a eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“A parada não é uma balada a céu aberto, é uma manifestação política que busca trazer visibilidade para as pessoas LGBTs”, afirma a presidente da Associação Maringaense de Lésbicas, Gays, Bissexuais Travestis e Transexuais (AMLGBT), responsável pela organização do evento, Margot Jung. Segundo ela, a Parada LGBT é uma forma de protesto contra as ações anunciadas pelo governo federal.

“As pessoas LGBTfóbicas, racistas e misóginas encontram legitimidade no discurso do Bolsonaro. Nós temos visto que em poucos meses de governo, ele está destruindo muitas políticas essenciais para a população. Como somos resistência, estamos lutando para reverter essas ações”, diz Margot. O objetivo também é refletir sobre o dia 17 de maio, considerado dia mundial de combate a LGBTfobia.

Nas eleições, em outubro do ano passado, Bolsonaro obteve 60,91% e 75,84% dos votos no primeiro e segundo turnos, respectivamente, em Maringá. Apesar desses resultados, Margot diz esperar que não ocorra nenhuma manifestação ou represália a Parada LGBT. “Da mesma forma que o pessoal que defende o Bolsonaro tem direito de se manifestar, nós também temos. A democracia é isso, as ruas da cidade são para todos e todas.”

Parada LGBT começa mais cedo neste ano

Neste ano, a AMLGBT decidiu realizar algumas alterações no evento. Assim como a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, considerada a maior do mundo, a 8ª Parada LGBT de Maringá começa mais cedo, às 12h, e vai terminar às 18h. A concentração vai começar na Praça da Prefeitura e logo após o trio elétrico percorrer algumas avenidas da cidade, vai ter o encerramento no estacionamento do Estádio Willie Davids.

Durante o percurso, drags e DJs vão se apresentar no trio elétrico. Entre as atrações confirmadas pela AMLGBT estão as drag queens Sythara Morango e Tinna Simpsom, além da DJ Isa Stracieri. Outra atração é o DJ de São Paulo Tico Malagueta. Ele se apresenta no evento desde a primeira edição. Segundo a associação, outras atrações serão divulgadas ao longo da semana.

A presidente da AMLGBT, Margot Jung, afirma que não há estimativa de público definido, mas que o objetivo é superar o número de participantes do ano anterior. Segundo ela, 30 caravanas de cidades dos estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina confirmaram presença na Parada. No entanto, Margot diz que a tendência é que o número de caravanas aumente até o dia do evento.

No evento organizado pelo Facebook, mais de 2,7 mil pessoas confirmaram presença. Apesar de trazer pessoas para a cidade, a Parada LGBT de Maringá não tem patrocínio de empresas ou da prefeitura. Segundo a organização, os custos são arcados com doações de pessoas que fazem parte da AMLGBT.

“O comércio aqui gosta do ‘pink money’ [expressão que significa que as empresas veem o  potencial de consumo e a comunidade LGBT como uma oportunidade ideológica], mas desvaloriza a pessoa LGBT. Infelizmente, quem perde com isso é a cidade, que tem uma das maiores paradas do Paraná”, afirma Margot.

Parada encerra semana de combate a LGBTfobia

A Parada LGBT marca o encerramento da Semana Maringaense de Combate à LGBTfobia. Entre segunda-feira (13/5) e sexta-feira (17/5) serão realizadas palestras e discussões, às 19h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar).

Entre os palestrantes está a primeira travesti a concluir um curso de mestrado na Universidade Estadual de Maringá (UEM), Lua Lamberti de Abreu. Na terça-feira (14/5), ela vai abordar o trabalho “Pe-Drag-Ogia como modo de Tensionar/Inventar Territórios Educacionais Heterotópicos”, resultado da tese de dissertação. Também haverá, durante a semana, uma aula com noções básicas de defesa pessoal.

“A semana é importante porque é um espaço que nós temos para discutir e conhecer um pouco mais sobre o universo LGBT”, afirma Margot. De acordo com ela, a Semana Maringaense de Combate à LGBTfobia é um evento de extensão regularizado pela UEM e os participantes vão receber certificados.

Confira a programação:

Segunda-feira (13/5)
19h30 – Afeminadas
Palestrante: Gui Vieira e Gustavo Ferro
Local: Auditório do Sinteemar

Terça-feira (14/5)
19h30 – Pe-Drag-Ogia
Palestrante: Lua Lamberti de Abreu
Local: Auditório do Sinteemar

Quarta-feira (15/5)
19h30 – A (in)visibilidade lésbica
Palestrante: Ludmila Castanheira
Local: Auditório do Sinteemar

Quinta-feira (16/5)
19h30 – A (não) presença de LGBTs na política
Palestrante: Jhonny Aguiar e Margot Jung
Local: Auditório do Sinteemar

Sexta-feira (17/5)
19h30 – Noções básicas de defesa pessoal
Palestrante: Aline Luz
Local: Auditório do Sinteemar

Sábado (18/5) 
23h59 – Pré-Parada LGBT
Local: Espaço Vintage Eventos

Domingo (19/5)
12h00 – Parada LGBT de Maringá
Local: Praça da Prefeitura
18h00 – Pós-Parada LGBT
Local: Espaço Vintage Eventos