Prefeitura de Maringá prepara informatização do EstaR, que pode custar até R$ 1,9 milhão por ano. Equipamentos, como smartphones, serão alugados

Por: - 27 de novembro de 2018
Com informatização, pranchetas dos fiscais serão substituídas por smartphones (Imagem/PMM)

A Prefeitura de Maringá prepara a informatização do sistema de  Estacionamento Rotativo (EstaR). Para isso, publicou uma licitação para locar um aplicativo, 65 smartphones e impressoras portáteis para os agentes, 150 aparelhos de venda e 20 totens informando os pontos de venda.

A licitação foi publicada nesta terça-feira (27/11) no Portal da Transparência – com data de quarta-feira (28/11) – e o valor máximo chega a R$ 1,938 milhão por ano. A abertura será o dia 8 de janeiro de 2019. Por ano, o aluguel dos celulares devem custar R$ 120,6 mil e das impressoras R$ 116,9 mil.

A concorrência prevê que a empresa vencedora forneça todos os insumos necessários para manter o software funcionando, como bobinas de impressão e acesso à internet, entre outros requisitos. Os smartphones, por exemplo, devem ter sistema operacional Android 5.0 ou superior e acesso à internet.

A gerente de estacionamento rotativo da secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), Janaína Ferreira, explicou que com o novo processo de informatização o usuário poderá fazer download do aplicativo no celular e selecionar o tempo que deseja ficar na vaga por meio do smartphone.

Porém, os pontos de venda física e a compra de cartão com os fiscais vão continuar, mas de forma informatizada. Pontos de venda com uma impressora acoplada serão instalados no comércio e outros estabelecimentos. O aluguel desses aparelhos irá custar para a prefeitura R$ 320,2 mil ao ano.

Os servidores irão fiscalizar o estacionamento e emitir os cartões pelo smartphone com auxílio da impressora. “A gente trabalha com pranchetas e a intenção é informatizar para ficar mais fácil para os servidores e os usuários”, disse.

Ela não soube explicar qual será a forma de pagamento por parte do usuário do EstaR, mas informou que a empresa que vencer a licitação será responsável por elaborar as funções de débito no aplicativo.

De acordo com a gerente do EstaR, com a informatização e o aumento na equipe de trabalho, o número de vagas poderá ser ampliado. Hoje, são cerca de 5,5 mil vagas e podem chegar a 10 mil: “A gente pretende estender o EstaR para outras regiões, como na Avenida Tiradentes e Maringá Velho”.

Em julho deste ano, a Prefeitura de Maringá anunciou reajuste de 9,3% no preço do cartão de 1 hora, passando de R$ 1,60 para R$ 1,75 e se tornando o segundo estacionamento mais caro entre as maiores cidades do Paraná. De janeiro a outubro desse ano, o EstaR teve receita de R$ 2,7 milhões.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.