Observatório Social de Maringá empossa novo Conselho Gestor. Procuradora federal Giuliana Lenza permanece na presidência da entidade

20 de novembro de 2018
Giuliana Lenza, presidente do Conselho Gestor do Observatório Social de Maringá, foi empossada nesta terça-feira (20/11) para um segundo mandato

O novo Conselho Gestor da Sociedade Eticamente Responsável – Observatório Social de Maringá (SER – OSM) tomou posse na manhã desta terça-feira (20/11), em solenidade realizada no auditório da Receita Federal. A procuradora da Fazenda Nacional Giuliana Maria Lenza permanecerá à frente da entidade nos próximos dois anos.

Criada no dia 27 de março de 2004, a ideia que originou a SER e dois anos depois (6/1/2006) o OSM, começou a ser gestada anos antes, por um grupo de maringaenses preocupado com a exposição nacional negativa de Maringá com o maior escândalo de desvios de recursos públicos da história cidade, que se tornou conhecido em 2000.

Protagonizado pelo ex-prefeito Jairo Gianoto e seu secretário da Fazenda, Antônio Paolicchi, estima-se que em valores da época mais de R$ 100 milhões tenham sido desviados da prefeitura. O Observatório busca conscientizar a população sobre a importância dos impostos e fiscalizar os gastos públicos.

A inciativa foi pioneira no Brasil – hoje está espalha pelo país e no exterior – e três anos depois conquistou o primeiro lugar no 5º Concurso Experiências em Inovação Social, promovido pela Comissão Econômica para a América Latina e Caribe, e seu trabalho foi publicado no livro “A Inovação Social das Políticas Públicas – Histórias de Êxito na América Latina e no Caribe”.

Na posse desta manhã, Giuliana lembrou que, infelizmente, o Brasil tem um alto índice de corrupção. Segundo o ranking de 2017, mantido pela “Transparency International – The Global Anti-Corruption Coalition”, dos 180 países pesquisados, o Brasil ocupa a 96ª posição, com 37 pontos, numa escala de 0 a 100.

Observatório esta na Campanha da Fraternidade

Presente à solenidade, o arcebispo de Maringá dom Anuar Batisti, destacou que o exemplo de Maringá foi reconhecido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e será mencionado no Texto Base da Campanha da Fraternidade 2019.

“O Observatório Social de Maringá é modelo para o Brasil e o Texto Base da Campanha da Fraternidade traz uma página sobre esta experiência. Todas as dioceses vão conhecer e estudar este projeto que nasceu em nossa cidade. O tema da CF 2019 será Fraternidade e Políticas Públicas”, disse dom Anuar.

O Observatório é composto por um grupo de profissionais de diversas áreas, como advogados, juízes, contabilistas, economistas, funcionários públicos federais e estaduais, empresários, estudantes e aposentados que são movidos por um mesmo ideal e todos isentos de filiação político partidária.

Sem fins lucrativos, a SER – OSM é mantida por um grupo de empresas e entidades de classe. Em seus quadros, há 10 profissionais qualificados em direito público e contábil, que são os funcionários encarregados das análises técnicas das licitações, por exemplo.

Giuliana Lenza lembrou que de 2006 a 2017, a entidade gerou um proveito econômico de mais de R$ 124 milhões, impugnando licitações, promovendo correções e fiscalizando órgãos públicos, como a Prefeitura de Maringá, Câmara de Vereadores e Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Novo Conselho Gestor da SER/OSM

Presidente: Giuliana Maria D. P. Lenza

Vice-Presidente: Paulo César Bandolin

Primeiro-Tesoureiro: Milton Laforga

Segundo-Tesoureiro: Claudio Marques

Secretária Geral: Julia Nakagawa

Conselho Fiscal: Antonio Tadeu Rodrigues, Cristiane Mari Tomiazzi e Marcos Luchiancenkol