PF faz apreensões em Sarandi que reforçam suspeitas sobre família que criava empresas para sonegar impostos. Dívida é de R$ 18,7 milhões

Por: - 7 de novembro de 2018

Em busca de provas sobre falsidade ideológica, associação para o crime e sonegações fiscais que teriam gerado dívidas de R$ 18,7 milhões, a Polícia Federal (PF) de Maringá cumpriu na manhã desta quarta-feira (7/11) quatro mandados de buscas e apreensões em Sarandi.

De acordo com as investigações, uma família residente em Sarandi compunha quadros societários de empresas do ramo de couro, sediadas em Guairaçá, Paiçandu e Sarandi, todas no Paraná, que foram autuadas pela Receita Federal gerando débitos tributários milionários.

Na tentativa de esquivar-se das investigações os investigados relataram que seus nomes estariam sendo utilizados indevidamente. No entanto,  comprovou-se que vários deles possuem vários números de Cadastro de Pessoa Física (CPF) e repetiam a manobra ilícita.

Nos locais foram encontrados documentos que comprovam a vinculação
dos investigados com as empresas autuadas pela Receita Federal e que geraram dívidas tributárias de R$ 18.743.333,11. Os documentos foram apreendidos. A PF não divulgou os nomes das empresas e dos suspeitos.

Na semana passada (31/10), a PF prendeu em flagrante no Jardim Itália, em Maringá, o dono de uma distribuidora de tabacos suspeito de contrabando. Nas buscas e apreensões, foram encontrados 14 volumes contento dezenas de insumos e essências para o uso com narguilé.

Artigos Relacionados

Empregos em Maringá

Últimas vagas de Empregos

GUIAS