Com dois meses de fiscalização, Patrulha do Som registra 224 atendimentos e aplica duas multas. Vila Olímpica e Rua Paranaguá geram maior número de denúncias

Por: - 9 de abril de 2018
A medição do som alto é feita pelo aparelho chamado decibelímetro (Imagem/ Cary Bertazzoni)

A Patrulha do Som completou dois meses de fiscalização e registrou 224 atendimentos. Desse total, foram cinco notificações e duas multas. A informação é da secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema), responsável pela fiscalização.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Ederlei Alckamim, a Vila Olímpica e a Rua Paranaguá, por causa da grande concentração de bares, são alguns dos pontos que recebem maior quantidade de denúncias e que são feitas ações coordenadas da Patrulha do Som.

A força tarefa para fiscalizar o som alto é uma ação integrada entre secretarias municipais e órgãos do Estado como a (Sema), secretaria estadual de Segurança Pública, Guarda Municipal e Polícia Militar.

As denúncias podem ser feitas durante a semana pelo telefone 156 ou no 153 da Guarda Municipal. Nos fins de semana, somente o telefone da Guarda Municipal recebe esse tipo de denúncia.

Se a denúncia de som alto for em estabelecimento comercial ou residência, a responsabilidade é da secretaria de Meio Ambiente. A Semob fiscaliza som automotivo, a PM e a Guarda Municipal ficam responsáveis pela segurança dos fiscais. Além disso, a Polícia Militar também atua para coibir pertubação do sossego.

“É uma coordenação de aparelhos governamentais, para que atuem juntos. O importante é que exista uma educação ambiental. As pessoas têm direito de dormir e descansar. Lógico que as pessoas também têm direito de se divertir, mas desde que não extrapole o direito do outro”, diz o secretário de Meio Ambiente.

Alckamim explica que a patrulha pode atuar também durante a semana, mas o foco são os fins de semana. “Ligou lá, nosso pessoal está na rua. Se precisar de acompanhamento da Guarda Municipal, a Guarda vai lá e acompanha. Em uma situação de risco, a Polícia Militar pode acompanhar também. Depois tem atuações específicas onde você reúne várias denúncias e ali tem um ponto crítico.”

Durante os dias da Expoingá, a Sema também será a responsável pela fiscalização. Alckamim disse que para fazer os eventos é necessário obter uma licença na secretaria: “Quem acompanha é a Sema. Caso haja excesso eles são autuados. A Barraca Universitária é a que traz mais problemas”.

As equipes ficam de plantão das 20h às 3h nas sextas e sábados. Nos domingos, os fiscais estão de plantão das 17h até as 22h.

Multas podem chegar a R$ 5 mil

Segundo o secretário de Meio Ambiente, o primeiro passo é notificar quem está com som alto. Se a situação se repetir é aplicada uma multa de R$ 2,5 mil e se houver outra ocorrência o valor dobra. Se for estabelecimento comercial, o dono perde o alvará.

Alackamim explica que se somente a Sema for acionada, será aplicada apenas uma infração administrativa. “Se for uma denúncia de pertubação de sossego, onde duas pessoas, quem denunciou e outra assinarem a denúncia, vai ter uma autuação criminal que pode acarretar em apreensão do som e a Polícia Militar tem que estar junto.”

Para fiscalizar o som alto, os fiscais utilizam decibelímetros, aparelhos que permitem a  medição do som. Com 5 metros de distância ou no quintal da casa do reclamador, já é possível aferir o volume do som. Durante o dia, das 6h às 20h, é permitido até 55 decibéis e à noite, das 20h às 6h, é permitido 45 decibéis.

Segurança Pública faz integração entre os órgãos

Para o tenente-coronel Antônio Padilha, secretário municipal de Segurança Pública, a Patrulha do Som vai além das questões de som automotivo e ambiente, por isso outras secretarias foram agregadas a força tarefa de fiscalização.

Segundo ele, o papel da secretaria de Segurança Pública é fazer a integração entre os órgãos envolvidos. De acordo com Padilha, é a Sema que faz a programação de pontos que deverão ser fiscalizados.

“A demanda de uma cidade do porte de Maringá é muito grande. Selecionamos as denúncias da semana e vamos atendendo em cima dessas denúncias. Quando têm eventos de grande porte, nos antecipamos com os organizadores do evento para que algumas medidas possam ser tomadas de maneira antecipada”, diz.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.