Alimentação natural para cães e gatos

Alimentação natural para cães e gatos

A alimentação dos animais de companhia, principalmente os cães, já passou por diversas fases. Quando os cachorros começaram a ser domesticados, eles eram alimentados com o resto da caça. Com o tempo, e por muito anos, os cães passaram a comer os restos do alimento de seus donos, e isso incluía itens bastante impróprios para o consumo desses animais, como os ossos de frango, que podiam causar perfurações no estômago e intestino, temperos, molhos…

Mais adiante, as pessoas tentaram “melhorar” a comida de seus cachorros e começaram a alimentá-los com fubá, arroz, restos de carne e alguns legumes. Obviamente, estava longe do ideal.

Surgiram então as rações industrializadas, que se basearam em estudos das necessidades nutricionais dos cães e gatos para se chegar à “receita ideal”. Deu certo! A ração era um alimento muito melhor do que os “restos”, bastante prática para os donos, mas com um grande problema: o cachorro não queria comer! A ração foi sendo aprimorada com novos ingredientes, sabores, palatabilizantes, surgiram as rações terapêuticas, em lata, específicas para cada raça, enfim, dezenas de marcas e opções. É quase impossível um cachorro não se adaptar a alguma delas nos dias atuais.

Quanto aos gatos, uma espécie extremamente exigente no quesito paladar, a indústria conseguiu agradá-los bem mais do que aos cães, e as rações felinas são muito bem aceitas pelos bichanos.

Há alguns anos, uma “nova onda” alimentar surgiu no mundo animal. As rações passaram a ser acusadas de causar alergias, usar ingredientes transgênicos e até de diminuir o tempo de vida dos animais, causando-lhes câncer. Seriam verdadeiras essas acusações ou apenas o surgimento de uma nova fase na alimentação para animais?

O fato é que estamos em tempos da alimentação natural para cães e gatos! Utilizando os muitos anos de estudos em nutrição animal que foram a base da indústria de ração, hoje veterinários especializados são capazes de formular dietas personalizadas para cães e gatos. E os animais simplesmente adoram!

A alimentação natural tenta suplementar todas as necessidades dos cães e gatos com ingredientes variados, como tubérculos, legumes, carnes, vísceras, óleos e grãos…, mas.. um momento!! Cães e gatos não são vegetarianos para comer legumes?! Na natureza, a presa é ingerida totalmente, e isso inclui o intestino, recheado de matéria vegetal. Assim, embora cães e gatos sejam carnívoros, indiretamente acabam ingerindo matéria vegetal. Note, a matéria vegetal faz parte da alimentação, mas ela JAMAIS pode ser a fonte exclusiva. Cães e gatos NÃO SÃO vegetarianos!

A formulação de uma dieta natural deve ser feita por um veterinário nutrólogo que analise o peso, idade, atividade física, temperamento do animal e, principalmente, seu estado de saúde. Além dos ingredientes da dieta, são acrescentadas vitaminas e nutracêuticos, substâncias que ajudam a melhorar a imunidade, o estado da pele e pelagem como o Omega 3, aminoácidos, óleo de peixe, óleo de linhaça, etc. Cada dieta é personalizada.

A dieta natural é, sem dúvida alguma, a melhor opção para os cães idosos. Ninna, uma vira-lata de quase 19 anos, passou a apresentar problemas renais e hepáticos. Emagreceu, ficou desidratada e abatida. A ração de qualidade, sua alimentação por toda a vida, foi suspensa e formulada uma dieta natural baseada em seus exames. A recuperação foi imediata! Novos exames, após 60 dias com a nova alimentação, apresentaram uma melhora surpreendente. O rim deu mostras de recuperação apenas com a dieta, e ela passou a ter um comportamento mais ativo, estimulada pela espera das refeições naturais. A expectativa de vida de Ninna aumentou bastante!

Além dos animais idosos, aqueles com problemas dermatológicos serão muito beneficiados com a alimentação natural. Ela é, para cães e gatos em geral, a formulação ideal, pois além de todos os benefícios para o equilíbrio da saúde, os animais se alimentam com extremo prazer!

A alimentação natural também existe na opção crua. Ou seja, o animal se alimenta como o faria na natureza, sem o cozimento dos ingredientes. Esse tipo de alimentação não é muito aceita pelos proprietários pela repulsa em ver seu amigão ingerindo vísceras, ossos e carnes cruas. O risco de contaminação dos animais por doenças como toxoplasmose, brucelose e outras também existe, se a carne não for de uma boa procedência. Não vale a pena arriscar!

Em termos de custos, a dieta natural é mais onerosa do que a ração industrializada, pois é necessário acrescentar, dependendo do caso, vitaminas e outros complementos. Também é muito trabalhosa para quem a faz, pois se requer o cozimento separado de cada ingrediente (podem passar de seis!) e pesá-lo na hora de compor a “receita”. É possível fazer em quantidade e congelar. Reserve bastante tempo e paciência! Essa é a grande desvantagem da dieta natural: nem sempre ela é viável para quem a faz, pelo tempo que requer e custo. Já existem empresas que produzem e entregam em casa as dietas naturais, de acordo com a prescrição do veterinário nutrólogo. Isso facilita muito a vida dos donos, mas tem seu custo.

Uma outra observação quanto a esse tipo de alimentação: você terá que caprichar na higiene dos dentes do seu animal, pois o tártaro poderá acumular com maior facilidade. Mas nada que um petisco para ele roer e a escovação não dê jeito!