A melhor escolha de um pet silvestre

A melhor escolha de um pet silvestre: no presente artigo, discutiremos, entre os pets silvestres mais populares, quais se adequam ao seu tutor.

Antes de qualquer coisa, não devemos escolher nenhum pet pela aparência, e sim pelo seu comportamento e o tempo que se precisará dispor para cuidar do mesmo. É claro que, também, não podemos nos esquecer do tempo que será necessário para desfrutarmos da sua companhia, pois não adianta cuidar sem interagir.

Vale ressaltar que a maioria dos animais silvestres são presas, diferentemente de cães e gatos que são predadores. Portanto, devemos ter um pouco mais de paciência ao interagir com eles, por serem animais com tendências a se esconder e fugir.

A tabela a seguir cita os mamíferos silvestres de maior preferência como pets, e a avaliação (de 1 a 10) em alguns quesitos:

Os coelhos são muito inteligentes, e interagem bem com seus tutores, além de serem popularmente considerados ‘’bonitinhos” por estarem relacionados à crença cultural do “coelhinho de páscoa”. Provavelmente,esses fatores os fazem atingir o 1º lugar na escolha dos tutores. Entretanto, coelhos mordem e arranham facilmente quando acuados, e possuem ossos leves e fracos e musculatura forte, ideais para fugas, porém são péssimos para contenção, sendo assim não recomendados para crianças muito pequenas ou sem paciência.

Os porquinhos da índia ficam logo atrás na preferência dos tutores. Têm pouca agressividade e fragilidade, porém nem sempre são curiosos, mas normalmente medrosos, dificultando a interação com seus tutores. São recomendados para crianças.

Os hamsters anões, por serem menores do que os sírios, têm frequência maior de preferência, porém são pets mais exigentes e irritadiços. Por isso, costuma-se recomendar o hamster sírio aos tutores. Diferentemente aos outros animais da tabela, o hamster tem comportamento individual, portanto não é conveniente colocar mais de um hamster na mesma gaiola. Além disso são animais noturnos (tendem a dormir o dia inteiro) e são muito ativos e metódicos, podendo fazer barulhos durante a noite inteira (melhor não os deixar no seu quarto se você quiser dormir). Os tutores costumam se divertir muito construindo verdadeiras mansões para esses bichinhos.

Os ratos estão como últimos colocados nas escolhas mais comuns entre os tutores, provavelmente por causa de seus rabos pelados, ou, talvez, por se fazer uma relação entre ratos e esgotos. Porém, como se deve ter notado na tabela, as características dos ratos são excelentes, a não ser, talvez, pela expectativa baixa de vida. Geralmente quem já teve um rato, sempre terá outros.

Agora discutiremos as aves. Para começar, afirmamos que todas as aves são frágeis e não são animais para se ficar apertando e dando abraços, já que seus ossos são muito leves e frágeis.

As calopsitas são aves com os quesitos bem equilibrados, por isso ocupam o primeiro lugar na escolha mais comum. São muito inteligentes, de fácil interação, e baixa agressividade. Costumam ser menos “barulhentas” do que os periquitos, e menos agressivas do que os papagaios.

Os papagaios são campeões na lista de quesito inteligência e instinto natural, havendo uma boa interação verbal e contato físico se forem bem trabalhados, porém é muito comum a agressividade. Outra característica dos papagaios é que são eles que escolhem com quem vão se dar bem. Então, não se iluda se você tiver o sonho de ter um papagaio e, no final, ele só conversar com sua vizinha, quando ela for estender a roupa no varal.

É fácil de se entender a paixão por canários, uma vez que, acordar com um canto suave e revigorante todos os dias, é uma bênção aos ouvidos, porém, observe que, na lista, são os mais frágeis, e é comum a morte súbita por excesso de sol, vento, ou até inalação de gases, não sendo recomendado manter o animal na cozinha, enquanto se está cozinhando, nem perto de produtos químicos.

Os periquitos australianos, que foram moda há um tempo atrás, têm os quesitos bem equilibrados, cores vais variadas, porém é bem comum os tutores relatarem que são excelentes “apitadores” e fazem uma “bagunça danada”. Quem decidir por ser tutor de um deles, vá se preparando para muitas traquinagens…

Ao se observar o quesito de instinto natural, o único que se destaca é o papagaio. É fácil de se encontrar papagaios na natureza, porém canários (comercial), calopsitas e periquitos australianos, só se vê ao ar livre quando eles acabaram de fugir das gaiolas, pois não duram muito nas condições climáticas brasileiras. Sabemos que há tutores que não gostam que se cortem as asas de aves, mas se a ave em questão não tem espaço para voar numa gaiola, e se for para a natureza brasileira provavelmente não irá se adaptar, consideramos que viver feliz sem voar é melhor do que voar um pouco e não sobreviver.

No caso dos répteis, a maior preferência é o jabuti. Porém esse universo não será abordado nesse momento, por ser animais de menor frequência.

Agora que conhecem um pouco mais sobre os Pets Silvestres, poderão escolher, sem arrependimentos, aqueles que melhor se adaptem às suas vidas.

NOTA: O Webanimal, assim como todos os seus colaboradores, desincentivam a compra de animais silvestres, principalmente as aves, de origem não conhecida. A lei ambiental prevê punições para quem vende ou compra animais silvestres ilegais. Fique atento ao adquirir uma ave silvestre.