O Norfolk Terrier é um pequeno cão rústico, forte, um dos menores terriers. Surgiu na
Inglaterra, no condado de Norfolk, a partir da fusão de várias raças para se obter um cão de trabalho. Como era uma região de muitas fazendas e, consequentemente, havia a presença de roedores, existia a necessidade de um cão pequeno para desentocar presas, com pelagem dura e que o protegesse de eventuais mordidas, ágil, forte, corajoso e com instinto aguçado para caça. Surge o Norfolk Terrier, do acasalamento de raças que vão desde ao antigo Bedlington Terrier, Staffordshire Bull Terrier até o Írish Terrier dourado de patas curtas.

Em 1932, foi oficialmente aceito pelo The Kennel Club e nomeado como Norwich Terrier.
Porém, havia espécies de orelhas eretas e orelhas pendentes, então, decidiram tornar raças distintas em 1964. Foram aceitos pela Federação Cinológica Internacional (FCI) em 1966 como Norfolk Terrier os de orelhas pendentes e Norwich Terrier os de orelhas eretas. Mas a beleza, inteligência, tamanho, sociabilidade e afeto, fizeram com que o Norfolk Terrier caísse logo no gosto dos ingleses, e daí em diante, a procura para pet cresceu muito.

Raro ainda em muitos países, este baixinho tem conquistado muito o coração dos brasileiros que vivem em apartamento, principalmente por não serem de latir ou destruir objetos, além de serem compactos, pesando em média 7 kg com a altura de aproximadamente 25 cm. São encontrados nas cores preto e castanho, grisalho, trigo e todos os tons de vermelho. Seus pelos são duros e grossos, não embaraçam e nem caem com facilidade.

Podem apresentar displasia e problemas cardíacos em uma escala muito mínima, já que na Inglaterra são excluídos da reprodução todos os cães que apresentem estes problemas.

Curiosidades:

O Norfolk Terrier tem uma forma particular de se comunicar com um grunhido especial que demonstra felicidade, parece um arfar, mas só emitido para demonstrar alegria. Tutores descrevem a raça como a alegria de viver.

Cuidados:

O Norfolk Terrier não deve ser tosado, a dura pelagem de arame deve ser mantida in natura com escovações semanais; no verão, ou ao menos umas 2 vezes ao ano, se desejar uma pelagem mais curta, deve-se realizar o handstripping, uma técnica manual que retira o subpelo, aquele algodãozinho macio, para dar lugar a pelagem mais dura e menos quente. Para esta técnica os groomers utilizam de uma espécie de pentes com lâminas denominadas faquinhas ou apenas as mãos, puxando (pulling).

Ficha:
Função: caça e companhia
Tamanho: pequeno, 7 kg, 25 cm
Necessidade de exercício: média
Temperamento: amável, corajoso e dócil
Adestrabilidade: médio/alto
Longevidade: 10 a 12 anos

Fonte:
Eliane e Roberto Pelinçari
Canil Kuvasz Paulista
www.kuvaszpaulista.com.br

Webanimal é um portal de informações voltado aos proprietários de animais de estimação, feito exclusivamente por veterinários, sob a direção da médica veterinária Silvia Parisi (CRMV SP 5532).