Raça Rastreador Brasileiro

O Rastreador Brasileiro é uma raça de cães de trabalho desenvolvida por Oswaldo Aranha Filho, a partir dos anos 1950, para a caça ao porco do mato e à onça (lembrando que na época não existia uma lei de proteção à fauna silvestre brasileira*). Hoje, é amplamente utilizado no controle populacional dos javalis e está iniciando carreira em busca e resgate de pessoas perdidas, desorientadas, na mata ou na cidade.

As raças importadas e usadas nos cruzamentos iniciais foram o Foxhound Americano, Black And Tan Coonhound, Petit Bleu de Gascogne, Black And Tan Hound Inglês, Bluetickhound Americano.

Capotira – Canil Serra da Canastra

Em 1967, foi a 1ª raça brasileira a receber o reconhecimento da FCI, Federacion Cinologique Internacionale, via Brasil Kennel Clube, o correspondente a atual CBKC.

Em 1973, a raça foi dada por extinta porque o plantel do Sr. Oswaldo, único desenvolvedor da raça (39 cadelas no total) foi dizimado pelas doenças decorrentes de uma grande infestação de carrapatos e o que sobrou dos cães acabou morrendo pelo uso excessivo de carrapaticida.

Os cães que conhecemos hoje como Rastreador Brasileiro são os descendentes diretos de cães doados pelo Sr. Oswaldo para fazendeiros e caçadores, em troca de informações do desempenho dos animais no trabalho. Esses cães foram cruzados na sua maioria com cadelas da raça Foxhound Americano, a raça mais fácil de ser encontrada no Brasil na época, o que deu o apelido de “Americano” aos Rastreadores Brasileiros.

A partir de 2007, com a criação do GARRB, Grupo de Apoio ao Resgate do Rastreador Brasileiro, por Victor Jones, a raça vem ressurgindo com força total entre os controladores de javalis e pelas forças policiais que começaram a dar espaço para que essa maravilhosa raça brasileira possa demonstrar todo seu potencial como cão de faro, em busca de pessoas perdidas ou fugidas na mata ou na cidade. E já existe um adestrador que está preparando a primeira Rastreadora Brasileira em faro de narcóticos.

Ninhada de Rastreador Brasileiro da Cip Cães Manaus – AM

Forte, rústico, resistente, alegre, vivaz. Possui excelente faro. Dócil e leal, ótimo esportista e caçador. Porte médio, machos devem medir de 60 a 65 cm na cernelha e fêmeas de 56 a 63 cm. Cores azulino, branco e preto, branco e castanho.

Estados em que as forças de segurança empregam o Rastreador Brasileiro em suas atividades:
1. Amazonas – CIP Cães PM (Companhia Independente de Policiamento com Cães) – Amazonas – Polícia Civil de Manaus
2. Roraima – Corpo de Bombeiros Militar – Boa Vista – Canil do BOPE PM- RR
3. Mato Grosso do Sul – Canil do BOPE PM – Campo Grande
4. São Paulo – Canil da PM de Jaú

Grupo Civil que usa o Rastreador Brasileiro em suas atividades:
1. Grupo Suçuarana de Manaus/AM e Sorocaba/SP
2. Unidade K9/SP

Aritana Olhos d’água – canil Serra da Canastra

O canil Serra da Canastra tem uma página no Facebook e canal no YouTube. Visite também o site www.rastreadorbrasileiro.com.br e conheça mais detalhes essa maravilhosa pérola brasileira.

*Código de Caça – Lei ° 5197/67 | Lei N° 5.197, de 3 de janeiro de 1967.