Raças de cães e gatos sem pelos

Raças de cães e gatos sem pelos

Diferente do que se possa imaginar, raças de cães e gatos sem pelos não são uma novidade do mundo moderno. Elas já existem há centenas de anos e não se sabe ao certo onde surgiram. Alguns dizem que as raças atuais se originaram de um cão ancestral africano sem pelos levado para a Ásia e Américas no tempo das navegações.

Prova da existência de animais sem pelagem nessas regiões são as raças Pelado Mexicano (Mexican Hairless), Pelado Peruano (Peruvian Inca Hairless) e o Cão Cristado Chinês (Chinese Crested). Mais importante do que saber onde surgiram, é interessante saber como eles apareceram.

Raça Pelado mexicano
Raça Cristado Chinês

A raça mais recente de cães sem pelagem é o Terrier Americano Sem Pelo ou Pelado Americano (Americam Hairless Terrier) e sua origem pode nos ajudar a entender os demais “pelados”. Do cruzamento de dois exemplares com pelagem em 1972, em Lousiana (USA), nasceram filhotes sem pelos. Isso aconteceu através de uma mutação genética espontânea, ou seja, não foi provocada voluntariamente e nem se sabe qual fator pode ter desencadeado esse fenômeno. Criadores se interessaram por essa variedade e passaram a desenvolver a raça, reconhecida como tal alguns anos depois.

Raça Terrier americano sem pelo

Não apenas os cães, mas também os felinos apresentam versões sem pelagem. A raça mais famosa é o Sphinx (Esfinge), que apesar do nome, nada tem a ver com os gatos do Egito. Sua origem é o Canadá e, da mesma forma que os Pelados Americanos, filhotes sem pelagem surgiram do cruzamento de pais peludos, em 1966, em Toronto.

Raça Sphynx

Independente dessas e outras raças sem pelos já reconhecidas, o nascimento de um filhote desprovido de pelagem pode acontecer e há relatos em várias partes do mundo. Mas isso não significa o surgimento imediato de uma nova raça.

Nos cães Pelado Mexicano, Pelado Peruano e Cão Cristado Chinês, o gene responsável pela ausência de pelos é dominante. Isso significa, na prática, que o cruzamento de dois cães pelados podem originar filhotes com ou sem pelos. Portanto, pode haver variedades peludas dessas raças. Já no caso do Pelado Americano e do gato Sphinx, o gene culpado pela “nudez” é recessivo. Assim, o cruzamento de animais sem pelagem só poderá resultar em filhotes também “pelados”.

Eles não causam alergia?

Um engano comum é achar que animais sem pelagem não causam alergias às pessoas predispostas. “Sou alérgico a cães e gatos, então, comprar uma raça sem pelos não vai me causar alergia, certo?”. ERRADO! A causa da alergia das pessoas por animais domésticos está relacionada principalmente à descamação da pele desses animais, sua saliva e urina. Portanto, comprar um animal sem pelos, pode não ser garantia de evitar alergias. Há pessoas que toleram melhor cães sem pelagem do que os peludos. Porém, pode ocorrer, em alguns casos, a piora no quadro alérgico. Isso porque, sem a cobertura pilosa, a descamação da pele dos “sem pelos” se espalhará mais facilmente pela casa.

Como eles são?

Iguaizinhos a cães e gatos com pelagem! No temperamento e comportamento, em tudo se assemelham. Na maioria das raças sem pelos, os filhotes nascem com a pele enrugada, mas as rugas vão desaparecendo aos poucos, à medida que o animal cresce.
É claro que a falta de pelos exige alguns cuidados especiais. O mais importante deles é ficar atento à exposição solar, pois a pele desses animais pode se queimar como a nossa. O gato Sphinx, por exemplo, a recomendação é criá-lo somente em ambientes internos.

Pulgas? Certamente elas preferem os animais com pelagem abundante. Mas se um “pelado” as tiver, é muito mais fácil visualizar e eliminar os parasitas.
Apesar do aspecto que nem sempre agrada a todos os gostos, os animais sem pelagem são ótimos companheiros. Seus donos são a maior prova do ditado popular: “a beleza está nos olhos de quem vê”.