Criptorquidismo em Cães – ausência de testículo

Na entrevista com a especialista em reprodução, Profa. Dra. Silvia Crusco, você entenderá um pouco mais sobre uma patologia que afeta muitos cães machos, o criptorquidismo.

O que significa criptorquidismo?
Criptorquidismo é a descida incompleta de um ou ambos os testículos para o escroto (bolsa escrotal), portanto clinicamente ocorre a presença de apenas ou nenhum testículo na bolsa.

Presença de um só testículo na bolsa escrotal

No caso do testículo não ‘descer’, onde ele fica localizado?
O testículo (ou ambos) retido, também chamado de ectópico, pode se localizar no abdome ou no anel inguinal (próximo ao canal de passagem do testículo do abdome para a bolsa escrotal).

Quais são as causas do criptorquidismo? 
Normalmente, é uma doença de origem genética ou causada por fatores não hereditários, como por exemplo, desequilíbrio hormonal. Somente os machos possuem os sintomas, porém as fêmeas podem ser portadoras do gene alterado e transmitir a alteração para seus filhotes.

Como é diagnosticado? 
Os testículos dos cães devem estar presentes no escroto do 10° ao 42° dia de idade. Já como filhote, é possível identificar visualmente o criptorquidismo. A alteração pode ser identificada pelo médico veterinário em consultas de rotina com auxílio da inspeção visual e palpação. A ultrassonografia é utilizada para a confirmação da presença e localização do(s) testículo(s) ectópico(s).

Quais as raças mais afetadas? 
As raças mais afetadas (em ordem por risco de incidência) são: Poodle toy, Lulu da Pomerânia, Yorkshire, Teckel miniatura, Cairn terrrier, Chihuahua, Maltês, Boxer, Pequinês, Bulldogue inglês, Old English Sheepdog, Poodle miniatura, Schnauzer miniatura, Shetland Sheepdog, Husky Siberiano e Poodle standard.

E os cães sem raça definida também correm risco? 
Sim, porém bem menor do que os de raça pura.

Com que idade o testículo deve ter descido? 
Em condições normais, os testículos dos filhotes descem para o escroto entre o 10º e 42º dia de idade. Nunca deve ultrapassar 4 meses de idade.

Existem tratamento para o criptorquidismo?
Sim, pode ser feito a base de hormônios, orquiopexia (fixação do testículo retido no escroto, feita através de cirurgia) e orquiectomia (castração). O melhor tratamento é a orquiectomia (castração) do cão. Isto devido a duas razões principais: existe um alto risco de incidência de tumores no testículo retido (13 vezes mais do que o normal) e por outro lado, se ele cruzar (mesmo com um testículo só isto é possível), o problema será, com grandes possibilidades, transmitido para as gerações futuras.

Quais os tipos de tumores que podem acometer o testículo retido? 
Os tipos histológicos de neoplasia (câncer) mais comuns diagnosticados no testículo retido são o sertolinomas (50%) seguidos de seminomas (33%), teratomas, tumores mistos e cistos dermoides.

O que acontece quando o cão apresenta tumor no testículo retido? 
O cão cujo testículo retido desenvolver uma neoplasia pode apresentar modificações de comportamento como: hipersexualidade, excitabilidade, irritabilidade e tendência a agressividade, caso haja produção de testosterona, ou síndrome de feminização, caso haja produção de estrógeno. A fertilidade pode diminuir. Existe um risco maior de torção do cordão espermático, além de todas complicações clínicas e cirúrgicas pela presença do tumor. As neoplasias testiculares, podem ser benignas ou malignas, sendo que neste segundo caso, podem causar metástase tumoral, ou seja, comprometimento de outros órgãos.