Esquema de vacinação para cães

Esquema de vacinação para cães

Esse é, sem dúvida, o cuidado mais importante tanto para o filhote como para o cão adulto.
Os animais devem ser imunizados antes de começarem a frequentar as ruas. Existem muitas doença virais que podem acometer os cães e são causadoras de um grande número de mortes, principalmente nos filhotes. Para ser vacinado, o animal deve estar saudável, sem febre ou diarreia, e previamente vermifugado.

Se isso não for observado, pode ocorrer falha vacinal, ou seja, o organismo não responder plenamente à vacinação.

As vacinas que seu cão deve receber e intervalos entre as doses devem ficar a critério do veterinário que irá cuidar de seu animal. As vacinas múltipla (V8 ou V10) e antirrábica são obrigatórias em qualquer esquema de vacinação. Abaixo, um calendário para a vacinação de filhotes, com as vacinas existentes no mercado:

CÃES: vacinas – múltipla (V8, V10 ou similar), tosse dos canis, antirrábica e Giardia
– 45 a 60 dias: 1a. dose vacina múltipla*
1a. dose vacina contra Giardia
vacina contra a Tosse dos canis
– 21 dias após a 1a. dose: 2a. dose vacina múltipla*
2a. dose vacina contra Giardia
– 21 dias após a 2a. dose: 3a. dose vacina múltipla*
– a partir de 4 meses de idade: Antirrábica

*vacina que protege contra a cinomose, hepatite, parvovirose, 4 tipos de leptospirose, coronavirose, parainfluenza, laringotraqueíte.

Este quadro mostra todas as vacinas disponíveis no mercado. Cabe ao veterinário decidir o melhor esquema para cada animal.

Cães adultos que nunca foram vacinados ou filhotes que já passaram da época de vacinação devem receber duas doses de vacina múltipla (intervalo de 21 dias entre elas) e uma  dose de vacina antirrábica. Isso também vale para cães de procedência desconhecida, quando não se tem conhecimento ou certeza sobre o histórico de vacinação.

Além dessas vacinas, pode ser feita imunização contra a leishmaniose ou calazar, uma importante zoonose (doença que pode ser transmitida ao homem pelo animal). A vacina contra essa doença é aplicada em regiões onde a leishmaniose é comum (endêmica) e deve ser antecedida de exames para detectar se o cão já tem a doença.

A chamada “vacina contra o verme do coração” (Dirofilariose), não é propriamente uma vacina, mas sim um antiparasitário de efeito prolongado, aplicado anualmente.

Não se deve vacinar filhotes com menos de 45 dias de idade, a menos que a cadela nunca tenha sido vacinada, pois as vacinas podem ser inativadas pelos anticorpos passados da mãe para a cria.

Não se esqueça! REFORÇO ANUAL DE TODAS AS VACINAS!