O Hamster

O hamster dourado Mesocricetus auratus , é um roedor da família Cricetidae. Ocorrem numa faixa limitada no Oriente Médio, onde a destruição do território e predação por outros animais ameaçam a existência da espécie.

Na Síria, onde são chamados pelo equivalente arábico de “possuidores de bolsas para carregar “, em virtude de suas bolsas faciais distendidas, vivem em profundas galerias onde estocam grandes quantidades de grãos.

Comportamento
Os hamsters possuem uma não merecida reputação de agressividade. Esta característica é exibida apenas quando são rudemente manipulados ou assustados. São bastante ativos à noite. Tem-se relato de fêmeas prenhes que percorrem até 8 km por dia. Hamsters geralmente possuem tempo de vida que varia entre os 18 a 24 meses, mas animais mais idosos são freqüentemente observados. Os hamsters, naturalmente, não são agressivos; contudo, freqüentemente, aparentam morder. Portanto deve-se ter cuidado para evitar ser mordido.

Vários tipos de caixas disponíveis são aceitáveis como alojamento, algumas delas equipadas com rodas, túneis e ninhos. Os hamsters roem plástico, madeira ou metais moles e possuem grande tendência e agilidade para escapar de caixas malfechadas ou impróprias. Produzem pequenas quantidades de fezes e pouco odor, mas, devem ser sempre limpos. Constitui-se um bom procedimento a lavagem das caixas (ou
alojamento) com água aquecida (82 graus Celcius), com ou sem detergentes ou desinfetantes, desde que não tóxicos e não deixando qualquer resíduo.

Alimentação
Embora as necessidades nutricionais do hamster, animal onívoro (dieta variada), não tenham sido inteiramente determinadas, uma dieta peletizada para roedores (ração), contendo 16% de proteína e 4 a 5% de lipídeos pode ser utilizada, até que se disponha de mais informações a respeito. Dietas com baixo teor protéico não são adequadas para o crescimento e reprodução. Para fêmeas com filhotes, a dieta deve ser colocada no fundo da caixa, pois a preocupação em roer e retirar os alimentos de comedouros freqüentemente resulta em negligência com a ninhada.

Reprodução
As
fêmeas produzem entre cinco e seis ninhadas grandes e, então, pequenas ninhadas por outros 6 a 9 meses, até 12 a 15 meses de idade. Machos são utilizados em criações comerciais até idades posteriores a 12 meses. Animais de estimação podem ser utilizados por mais tempo. Os hamsters dourados tornam-se sexualmente maduros entre 35 e 42 dias de vida, mas o acasalamento é, em geral, efetuado entre a 6a. e 10a. semana de vida para a fêmea, e 10a. e 14a. para o macho (aproximadamente entre 100 e 150 gr de peso).

O período de gestação no hamster é de 15 a 16 dias com pequenas variações decorrentes de ‘dificuldades’. Em colônias saudáveis, as ninhadas apresentam usualmente cinco a nove filhotes.
Entre os problemas mais freqüentes relativos ao acasalamento estão as brigas, canibalismo de jovens, fugas das caixas, grande suscetibilidade às alterações climáticas e à privação de alimentos ou água; nestes casos a melhor conduta é sempre procurar um Médico Veterinário especializado no atendimento deste animais para instituir o melhor tratamento para cada caso.

Referências:
HARKNESS, J.; WAGNER, J. Biologia e Clínica de Coelhos e Roedores. Editora Roca, terceira edição, 1993. 238p.
HILLYER, E.; QUESENBERRY, K. Ferrets, rabbits, and rodents: clinical medicine and surgery. Philadelphia: W. B. Saunders company, 1997.