Mitos e verdades sobre zoonoses

Mitos e verdades sobre as zoonoses (doenças transmitidas pelos animais ao homem). Saiba o que há de correto ou não nos ditos populares.

“A mordida/baba do cachorro transmite a raiva”
Parcialmente correto. Os cães afetados pela raiva salivam bastante (“babam”) por não conseguirem engolir a própria saliva, devido à paralisia que a doença causa. A mordida desses animais transmite a raiva. Porém, um cão só pega raiva se for mordido por outro animal doente. A maioria dos cães não é portadora do vírus da raiva, principalmente aqueles vacinados. Assim, apenas a saliva (“baba”)/mordida de um animal DOENTE, transmitirá a raiva.

“Cachorro que baba/espuma é cachorro louco”
Errado. Nem todo cachorro que “baba” (saliva) ou espuma está com raiva. Animais intoxicados podem apresentar intensa salivação, assim como cães ou gatos que ingeriram medicamentos de sabor desagradável podem espumar. Animais submetidos a forte estresse também podem salivar.

“Cachorro que corre em volta do rabo está louco”
Errado. Muitos cães correm atrás do rabo por costume, ou por uma manifestação de ataque convulsivo. O cão que corre atrás do rabo, não está louco, nem com raiva.

“O gato transmite doença para mulher grávida”
Parcialmente correto. Os gatos domésticos podem contrair a toxoplasmose através da carne crua ou ingestão de pombos e outras aves contaminadas. O gato não apresenta sinais clínicos da toxoplasmose e pode eliminar o parasita pelas fezes, na forma de oocistos, que levam até 5 dias para se tornarem infectantes.

A mulher que contrair toxoplasmose durante os três primeiros meses da gestação poderá ter sérios problemas com o feto. Antes de engravidar, caso ela possua ou tenha contato com animais, deve fazer um exame para detectar se já tem a doença, mas não apresenta sintomas. Se tiver toxoplasmose, deverá ser tratada antes de engravidar. Caso contrário, deverá evitar o contato com fezes de gatos, nos três primeiros meses de gestação.

A família não precisa se desfazer do gato de estimação, no caso de gravidez na família. Pode ser feito um exame sorológico (no sangue) no animal para saber se ele tem a doença, ou simplesmente, evitar o contato da mulher grávida com os dejetos do gato. A ingestão de carne mal cozida ou crua pela gestante deve ser evitada, pois é a principal forma de adquirir a doença. Esse alimento pode estar contaminado e, sem o devido cozimento, transmitir a toxoplasmose.

“Cachorro na praia transmite doenças”
Parcialmente correto. Nem todo o cão pode transmitir doenças às pessoas se frequentar a praia. Porém, se o cão estiver com vermes e defecar na areia, os ovos microscópicos desses parasitas se transformarão em larvas. Essas larvas podem penetrar na pele das pessoas causando o “bicho geográfico“.

Os cães que são vermifugados, ou seja, tomam remédio para vermes regularmente, não transmitirão as larvas às pessoas. De qualquer modo, deixar o cão “fazer cocô” na praia, com o sem vermes, é errado. Lembre-se sempre de ser um dono responsável.

“O gato transmite asma para as pessoas/crianças”
Errado. A asma, também conhecida como bronquite, bronquite alérgica, bronquite asmática ou asma brônquica é uma doença alérgica, não transmissível. Crianças ou pessoas que sofrem de asma, podem ter crises quando em contato com os pelos de gatos e outros animais. Os pelos do gato ou os ácaros presentes na pelagem (o mesmo ácaro existente na poeira), em algumas pessoas, podem causar as crises.

“O gato também tem AIDS”
Errado. A FAIDS é uma doença que causa imunodeficiência em felinos, mas NADA tem a ver com a AIDS humana. É transmitida unicamente entre gatos. Não se trata da mesma doença nem é transmitida ao homem.

“O xixi de rato transmite doenças”
Parcialmente correto. Os ratos são transmissores da leptospirose, doença que atinge o homem e animais através da urina desses roedores. Porém, nem todo o rato está infectado com a leptospirose. Na dúvida, evite o consumo de alimentos ou o uso de rações para animais contaminados pela urina de ratos, assim como o contato com águas de enchentes que são contaminadas por urina desses roedores que vivem nos esgotos.