Esterilização de cão e gato – Laqueadura e vasectomia

Esterilização de cão e gato – Laqueadura e vasectomia

Quando castramos um animal são retirados os testículos, no macho ou os ovários e útero, na fêmea. Com esse processo, as cadelas e gatas não acasalarão mais, pois o contato sexual com um macho está na dependência de alterações hormonais que ocorrem no cio. Não tendo mais cios, a fêmea não permitirá a aproximação de um cão/gato para o acasalamento. Os machos, após a castração, também não terão o estímulo hormonal para acasalarem, embora alguns cães e gatos, mesmo castrados, possam cruzar com uma fêmea no cio.

Além da castração, exitem outros métodos de esterilização dos animais: a vasectomia (macho) e a laqueadura (fêmea). Nesses casos, os órgãos sexuais não são retirados, mas é feita uma interrupção na passagem dos óvulos, no caso da fêmea ou dos espermatozoides, no caso dos machos. Os animais continuarão acasalando, mas serão inférteis.

A laqueadura e vasectomia seriam bons métodos de controle populacional em animais, porém, existem alguns pontos que desestimulam o seu uso.

Em gatos:
– Não evitará que os machos urinem pela casa para demarcar o território e eles continuarão fugindo em busca de fêmeas;
– A cirurgia não pode ser revertida em machos ou fêmeas;
– As gatas continuarão a ter cios após a laqueadura e essa cirurgia não evitará a ocorrência de doenças uterinas na fase adulta do animal.

Em cães:
– O pós operatório da vasectomia pode ser doloroso por processo inflamatório na bolsa escrotal (“saquinho”);
– O desejo sexual do macho não diminui, o que continua a ser um problema para animais que não encontram fêmeas para cruzar, têm o hábito de subir nas pernas ou braços dos donos ou urinam pela
casa para demarcar território;
– A cirurgia não pode ser revertida em machos ou fêmeas;
– As fêmeas continuarão a ter cios após a laqueadura e a cirurgia não evitará a ocorrência de doenças uterinas e tumores de mama na fase adulta do animal (comuns em cadelas e que podem ser
evitados pela castração).

Assim, embora a laqueadura e vasectomia sejam feitas em animais, o uso não é frequente. A castração é o melhor método de esterilização. Lembrando que se o animal for castrado, ele não ficará frustrado ou traumatizado por nunca ter cruzado. O desejo sexual nos animais é estimulado por fatores hormonais e não existe o componente psicológico como nos humanos.

Para alguns proprietários que possuem um casal de cães ou gatos e se recusam a castrá-los, a laqueadura da fêmea ou vasectomia do macho é um bom método para se evitar ninhadas frequentes.