Conhecendo os ferrets

Conhecendo os ferrets. Quem é ele?

Esse bichinho simpático e comprido se chama ferret ou furão doméstico. Por ser desconhecido da maior parte das pessoas, ele tem sido chamado de vários nomes: rato, iguana, hamster gigante, chinchila, entre outros. Mas não se deixe enganar, o Ferret é um animal a parte. Ele é da família dos Mustelídeos, a mesma do vison, marta, doninha, lontra, ariranha, irara e do furão selvagem.

Estes animais têm em comum várias coisas: são carnívoros, possuem o corpo comprido e bastante flexível, membros curtos, orelhas pequenas, cauda peluda e longa e uma pelagem muito densa.

Apesar do nome, o furão doméstico é mais aparentado com a doninha européia do que com o furão selvagem nacional. O furão doméstico é companheiro do homem a cerca de 2000 anos, segundo alguns historiadores. Ele era inicialmente usado para caçar pequenos roedores e para controlar os ratos em casas e silos. Chegou aos EUA com os primeiros colonizadores e lá se tornou um animal de companhia; atualmente os ferrets são a terceira maior população de Pets, com cerca de 8 milhões de animais.

Legislação
Por se tratar de um animal exótico (que não existe na nossa fauna), o Ibama faz, sabiamente, uma série de exigências às empresas que importam este animal. A mais importante é que os animais sejam castrados antes de vir ao Brasil, pois a criação é totalmente proibida. Além disso, todo o animal deve receber um microchip que é sua “carteira de identidade” e permite que animal e proprietário sejam prontamente localizados pelo orgão. Isso aumenta a responsabilidade de quem quer comprar um bicho desses.

Como criar
Por se tratar de um animal bastante curioso, é aconselhável que não se deixe o ferret solto sem alguém por perto, pois ele vai inspecionar todos os cantos e buracos da casa o que pode provocar acidentes. O melhor é que ele tenha um lugar onde se sentirá seguro e fique longe de encrenca.

Existem gaiolas apropriadas para eles com um espaço pequeno entre as grades para que ele não prenda o pescoço nos vãos. Na gaiola colocamos uma rede ou um tubo para ele se esconder, um bebedouro automático, um comedouro e uma vasilha sanitária para ele fazer suas necessidades.

A alimentação
A comida deve ficar a disposição o dia inteiro, bem como água fresca, pois eles precisam comer várias vezes ao dia. A alimentação deve ser feita com rações apropriadas já que, por serem carnívoros, necessitam de muita proteína, algo que não se encontra nem em ração de gato. Outros alimentos devem ser evitados, já que frutas, doces, fibras e outros podem prejudicar o funcionamento do seu intestino, causando diarréia e gastrites.

As vacinas
Os furões são bastante resistentes a doenças, porém, devemos tomar especial cuidado com a cinomose que é fatal e a gripe humana que pode passar para eles. Eles vivem 7 a 8 anos em média. Devem ser vacinados contra cinomose e contra raiva. No Brasil, a única vacina contra cinomose aprovada para furões, no momento, é a Galaxy C da Fort Dodge e a de raiva é a Rabisin da Merial. É desaconselhado o uso de vacinas polivalentes pois podem causar reações nestes animais.

A higiene
O ferret pode ser banhado a cada 15 dias, com shampoo apropriado, já que as fórmulas humanas e para cães podem provocar o ressecamento da pele. Existem perfumes e neutralizadores de odores, pois algumas pessoas acham seu cheiro natural de “Musk” um pouco forte. Os furões são animais extremamente dóceis, companheiros e, principalmente, práticos. Tais características fazem com que eles sejam uma escolha perfeita para que busca um animal engraçado, silencioso, que dê pouco trabalho e possa ser mantido em um lugar pequeno.

Veja também:

  • conhecimentos gerais sobre ferrets
  • reconhecendo as doenças
  • problemas gastroentéricos
  • problemas odontológicos
  • doença esofágica (megaesôfago)