Três crianças indígenas morreram por raiva humana em Minas Gerais

Foram três mortes registradas pela doença, em apenas um mês. O último caso de raiva humana no estado de Minas havia sido registrado em 2012.

Três crianças morreram em decorrência de raiva humana na área rural de Bertópolis, em Minas Gerais. De acordo com a Secretaria de Saúde de Minas Gerais, um quarto possível caso está em observação e a confirmação de exame laboratorial está sendo aguardada.

O primeiro óbito foi de um menino de 12 anos no dia 4 de abril. O segundo caso confirmado da doença foi de uma menina, da mesma idade, notificado no dia 5 de abril. A confirmação laboratorial foi no dia 19.

Em 13 de abril, a menina piorou e foi transferida para uma Unidade de Terapia Intensiva, mas faleceu no dia 29 de abril. “Ambos os casos estão relacionados a uma mordedura pelo mesmo morcego”, informou a secretaria.

A confirmação do terceiro caso foi no dia 26 de abril, em um menino de 5 anos que veio a óbito no dia 17 de abril. As três crianças residiam em uma aldeia indígena da região do Vale do Mucuri.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde “Apesar de o indivíduo estar sem sinais de mordedura ou arranhadura por morcego, optou-se por investigar o óbito como tal em função da proximidade geográfica das ocorrências e dos hábitos da comunidade”.

Por conta da situação vacinas e soro antirrábico humano para a população exposta, e vacina antirrábica animal para vacinação de cães e gatos da região foram enviados e aplicados.

Imagem: Prefeitura Municipal de Bertópolis

Caso suspeito

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, o caso suspeito foi notificado no dia 21 também na área rural de Bertópolis. “Trata-se de uma paciente do sexo feminino, 11 anos, que apresentou sintomas inespecíficos como febre e dor de cabeça e, devido ao parentesco com o segundo caso confirmado, foi notificada como suspeita e encaminhada para o hospital, onde foram coletadas amostras laboratoriais”. A paciente segue estável e em observação.

Tive contato com um morcego, o que fazer?

Se você teve contato direto, ou seja, tocou, foi mordido, arranhado ou lambido por um morcego, procure os serviços de saúde imediatamente.

A busca por atendimento médico também vale para animais, nas mesmas situações citadas acima e também mesmo que não tenha certeza do contato direto do morcego com o animal. Por exemplo, o animal acordar com um morcego no mesmo ambiente que dormiu.

Caso você encontre um morcego morto, caído, voando durante o dia, pendurado em local baixo ou exposto á claridade, não tente lidar com ele sozinho, entre em contato com o Centro de Controle de Zoonoses, para que a situação seja resolvida com segurança para todas as pessoas, demais animais e para o próprio morcego. Em Maringá, o telefone do centro é o (44) 3901-1176.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.