Não fuja do risco: saiba como ter maiores retornos

Por: - 16 de julho de 2019

Em tempo de juros baixos, procurar novos investimentos é necessário, assim como adotar posturas mais arriscadas

Cada vez mais há material disponível sobre a importância de investir e não depender só da aposentadoria do governo quando chegar a hora de descansar. E também é cada vez mais evidente que colocar o dinheiro na poupança ou em investimentos ligados à taxa de juros não é uma boa. Por isso é importante olhar com carinho para outros produtos financeiros, que carregam um pouco mais de risco, mas também oferecem recompensas maiores.

A taxa SELIC que era de 20% há 14 anos hoje está em 6,5%, o que faz investir em renda fixa não tão sedutor.  Então que tal conhecer outras possibilidades? É isso que vamos apresentar neste artigo.

Retornos

Nunca desmereça as ações

Há quem ache a Bolsa de Valores uma loteria, algo que não tem tanto sentido. Mas assim como em uma disputa de pênaltis no futebol, a ideia de ligar Bolsa a algo aleatório não faz sentido nenhum.

Há investidores que ganham a vida na Bolsa e dá para ter retornos pesados e constantes na Ibovespa e suas “irmãs” sim. É só saber onde colocar o dinheiro.

A Bolsa chegou a 100 mil pontos neste ano e tende a aumentar com as reformas planejadas para aquecer a economia e reduzir o peso do governo. Em 2018, mesmo em anos de eleição e turbulência política, o índice Ibovespa aumentou 15% após chegar a cair mais de 10% ao longo do ano.

Só que é claro que nem tudo são flores. Há ações que irão cair de valor, os humores do mercado e o noticiário nacional podem derrubar as ações e a postura afoita do investidor, seja comprando na hora errada ou vendendo por medo podem resultar em prejuízo.

Por isso é importante seguir a “receita de bolo”:

  • Estude bastante a empresa que você está comprando as ações: balanços, notícias e cenário
  • Não seja afoito: é importante confiar no seu taco e manter a posição mesmo que exista prejuízo a curto prazo
  • Compre na baixa, venda na alta. Ter retorno comprando caro é muito mais difícil

Pense nas Criptomoedas

As criptomoedas ganharam imensa notoriedade nos últimos três anos, mas elas estão por ai há uma década, no caso do Bitcoin, a mais famosa das moedas virtuais.

A resposta dos investidores quanto ao Bitcoin e suas concorrentes foi gradativamente mudando. No começo era visto apenas como uma excentricidade de pessoas muito ligadas à tecnologia, mas aos poucos mais investidores foram vendo seu potencial até que foi alcançado um boom no fim de 2017: o valor chegou quase a US$ 20 mil por uma unidade. Ele caiu mais da metade antes de ter um novo aumento agora no meio de 2019.

Ou seja, estamos falando de um produto bastante volátil, mas que tem imenso potencial e repercussão no mundo inteiro. Adaptar os mesmos princípios de comprar na baixa e vender na alta pode dar grandes retornos.

Opções binárias

As opções binárias fizeram o mesmo caminho que o Bitcoin, trilhando até a credibilidade com cada vez mais pessoas colocando seu dinheiro nas plataformas de negociações, como a Olymptrade.

A ideia das opções é similar às ações. Você estuda uma empresa, uma commodity ou o valor de moedas, como dólar e euro, e aposta se o valor irá subir ou descer. A diferença é que há um período de tempo (bastante curto) e se você está na posição certa, não ganha sobre o aumento e sim de 70% a 90% sobre o investido. Se errar, perde o investido.

Ou seja, estamos falando de um risco maior, mas uma recompensa também. E por isso quem gosta dessa adrenalina e procura a diversificação está optando pelas opções binárias.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.