Classificação na Copa do Brasil rende quase R$ 2 milhões aos cofres do Maringá FC

Compartilhar

Valor se refere a premiação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e também ao percentual da bilheteria, por ser o clube mandante. Maringá FC enfrentará o Amazonas na próxima fase.

Por Victor Ramalho

O Maringá FC atingiu uma importante marca na noite dessa quarta-feira (28). Em sua terceira participação na história da Copa do Brasil, o clube maringaense nunca foi eliminado na primeira fase do torneio.

Após derrotar o Madureira-RJ, em 2015 e o Sampaio Corrêa, em 2023, a vítima da vez foi o América-MG, time mais forte já enfrentado pelo tricolor nesta fase e que, até o ano passado, estava na elite do Campeonato Brasileiro.

Em campo, o MFC foi superior durante toda a partida, embora tenha sido penalizado pelo gramado molhado em função da chuva, o que atrapalhou o andamento do jogo e fez com que os mandantes perdessem chances claras de gol. O empate, que classificaria o time de Minas Gerais, permaneceu no placar até os acréscimos quando o zagueiro Vilar, de cabeça, inaugurou o marcador.

Ainda houve tempo de Mirandinha marcar o segundo, para a euforia dos quase 6.500 torcedores presentes. Na próxima fase, o Maringá enfrentará o Amazonas, sensação da Série C 2023 e que tem nomes conhecidos do torcedor brasileiro, como o atacante Sassá. A data e horário da partida será definida em sorteio.

Para o técnico Jorge Castilho, a vitória foi fruto da dedicação, entrega e muito estudo da comissão técnica sobre o adversário. “O Maringá é isso, é entrega, dedicação e um grupo muito bom de se trabalhar que entende o que a gente pede. Nosso corpo de análise e toda a comissão técnica estudaram muito o América, que é uma equipe muito forte, não havia perdido ainda neste ano e conseguimos nosso objetivo”, explicou o treinador.

Cofres cheios

Pela classificação na noite dessa quarta-feira (28), o Maringá FC recebe R$ 1,8 milhão. São R$ 787 mil pela participação, mais R$ 945 mil da premiação pela classificação, além de R$ 90 mil em bilheteria, equivalente aos 60% que o clube tem direito, por ter sido o mandante da partida. O América-MG fica com os outros 40% da bilheteria, uma vez que a renda da primeira fase é dividida neste percentual, por se tratar de jogo único.

Foto: Fernando Teramatsu/Maringá FC


Compartilhar

Autor

Notícias Relacionadas