Euforia alvinegra, ‘lei do ex’ e preocupação com a bola: tudo que você precisa saber sobre Cianorte x Corinthians

Compartilhar

Júnior Dutra, que defendeu o Timão em 2018, estará em campo nesta quinta-feira (22), desta vez, com as cores do Cianorte | Foto: Arquivo/Corinthians

As delegações das duas equipes chegaram em Maringá no fim da tarde dessa quarta-feira (21). Jogo pela primeira fase da Copa do Brasil, em partida única, ocorrerá nesta quinta (22), às 20h, no Estádio Regional Willie Davids.

Por Victor Ramalho

Era a Avenida Herval, mas poderia facilmente ser confundida com a NeoQuímica Arena. No fim de tarde dessa quarta-feira (21), centenas de torcedores do Corinthians se concentraram nas portas do Hotel Deville, onde a delegação alvinegra está hospedada, para ‘tietar’ os jogadores. A equipe paulista enfrentará o Cianorte na noite desta quinta-feira (22), às 20h, no Estádio Regional Willie Davids, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Por uma orientação da Polícia Militar (PM), atletas e comissão técnica não entraram pelo saguão do hotel, deixando os ali presentes irritados e até gerando um princípio de protesto. Alguns atletas, no entanto, driblaram a segurança e pararam para dar autógrafos para torcedores, já no interior da recepção, casos de Cássio e Fagner, os líderes do elenco.

O Corinthians realizou o último treino antes da partida ainda em São Paulo, na manhã de quarta (21). Nesta quinta (22), a equipe apenas descansa, no próprio hotel, aguardando a partida. Conforme a assessoria do clube, nenhum jogador foi liberado para falar com a imprensa.

Concentração de corintianos na porta do Hotel que a equipe está hospedada, em Maringá | Foto: Colaboração/Daniel Mattos

O Cianorte também já está em Maringá. O Leão do Vale, que também realizou o último treino em Cianorte, chegou na Cidade Canção no fim da tarde e, conforme o clube, também não tem atividades previstas para esta quinta, se preservando para a partida.

Torcedores que desejam ir ao Estádio, mas ainda não compraram ingressos, ainda podem garanti-los. Confira as orientações para a compra das entradas.

A ‘lei do ex’

Os mais céticos costumam dizer que esta é a única lei que funciona no país. E se for verdade, o Corinthians tem motivos para se preocupar na noite desta quinta-feira (22). No lado paranaense, dois atletas que defenderam o Timão recentemente onde vestem as cores do Cianorte.

Os atacantes Guilherme e Júnior Dutra, ambos com 35 anos, chegaram ao Leão do Vale nesta temporada. O primeiro defendeu o alvinegro entre 2016 e 2017, enquanto o segundo chegou ao Parque São Jorge em 2018, ambos com passagens apagadas pelo time paulista.

Dutra, atualmente, é titular do Cianorte no Paranaense e deve começar jogando, enquanto Guilherme iniciará o jogo no banco de reservas. A se manter as expectativas pré-jogo, o Leão do Vale deverá ir para campo com:

Vinicius Almeida; Marlon, Raphael, Mateus Guedes e Samuel; Adriano Jr, Nathan e Juninho; Lucas Lourenço, Júnior Dutra e Vinicius Faria. O técnico Zé Roberto, no entanto, não divulgou o time que irá começar o jogo.

Guilherme (à esq.) e Júnior Dutra (à dir.): do Timão ao Cianorte | Foto: Reprodução/RPC

Já o Corinthians, de Antônio Oliveira, deverá ter algumas mudanças em relação ao time que empatou com o Palmeiras no fim de semana, a começar pelo gol: Cássio, que sofreu um trauma no pé durante o clássico, dará lugar a Carlos Miguel. Um provável Timão tem:

Carlos Miguel; Fagner, Félix Torres, Gustavo Henrique e Hugo; Raniele, Maycon, Rodrigo Garro; Romero, Wesley e Pedro Henrique.

A preocupação com a bola

No último trabalho em campo antes da partida, nessa quarta-feira (21), o Corinthians dedicou uma atenção especial a bola que será utilizada no jogo, um modelo exclusivo da Copa do Brasil e que, conforme o próprio clube, aparenta ser mais pesada que a utilizada no Campeonato Paulista.

“Hoje em dia, dependendo da competição, a gente tenta se adaptar o mais rápido possível e o que a gente nota é que a bola está cada vez mais leve, mais rápida. A gente sabe que quanto mais cedo se adaptar, melhor vai ser. Os atacantes e os goleiros são quem precisam se adaptar mais rápido, mas estamos preparados. O quique da bola é o grande segredo, enquanto também os gramados diferentes, de um estádio para o outro. No treinamento, precisamos nos adaptar rápido. Eu espero fazer muitos gols com essa bola, que será usada no Brasileiro também”, afirmou o atacante Pedro Henrique, recém-chegado ao Corinthians vindo do Internacional.

“Para a gente muda um pouco, varia o material usado de cada bola, mas acredito que a gente vá se adaptar bem, conseguiremos ter um bom desempenho, independente da bola que a gente usar. A bola do Paulistão é um pouco mais leve, varia um pouco mais, balança um pouco mais, essa aqui varia um pouco menos”, disse Matheus Donelli, goleiro reserva do Corinthians.


Compartilhar

Autor

Notícias Relacionadas