Cianorte x Corinthians: 19 anos depois, equipes voltam a se enfrentar no mesmo palco que ‘revelou’ Caio Júnior como treinador

Compartilhar

Carlitos Tévez disputa bola em Cianorte x Corinthians, pela Copa do Brasil de 2005 | Foto: Acervo/Gazeta Press

Em 9 de março de 2005, equipes se enfrentaram no Estádio Regional Willie Davids pela segunda fase da Copa do Brasil, com vitória do Leão do Vale por 3 a 0, em jogo que também marcou a estreia de Daniel Passarella no Timão.

Por Victor Ramalho

Era para ser um duelo de extremos opostos: de um lado, o ‘estrelado’ Corinthians, que recém havia firmado uma parceria com a MSI, resultando na contratação de grandes nomes do futebol naquele momento, como ‘Sebá’ Domínguez, Fábio Costa e a então promessa argentina Carlitos Tévez. Do outro, o até então desconhecido Cianorte, fundado apenas três anos antes. Mas o futebol, como dizem, é uma ‘caixinha de surpresas’.

As duas equipes se enfrentaram pela segunda fase da Copa do Brasil de 2005. Na ocasião, o regulamento ainda previa o confronto em jogos de ida e volta. A ida, sob mando do Leão do Vale, foi disputada no dia 9 de março de 2005, no Estádio Regional Willie Davids, em Maringá, mesmo palco que receberá novamente os dois times no próximo dia 22 de fevereiro, também pela Copa do Brasil.

Nas arquibancadas, mais de 19 mil torcedores marcaram presença naquele jogo, em sua maioria corintianos, embora também houvesse uma parcela considerável de ‘secadores’. O que ninguém esperava, no entanto, era que a modesta equipe do interior do Paraná fosse surpreender o gigante de Itaquera.

Em campo, o Cianorte derrotou o Timão por 3 a 0, com dois gols do volante Márcio Machado e um do lateral-direito Edson Santos. Ainda houve tempo para o zagueiro alvinegro Anderson Cléber ser expulso. Embora dentro das quatro linhas o Corinthians estivesse completo, os destaques daquele jogo estariam na beira do campo.

Pelo lado paulista, o jogo marcara a estreia do treinador Daniel Passarella. Embora apontado como o maior zagueiro da história do futebol argentino, a carreira dele como técnico não durou muito, e no Corinthians menos ainda. Sem conseguir contornar a crise existente dentro do elenco, com um ‘racha’ noticiado à época pela imprensa entre os atletas contratados pela MSI e os que já estavam no time antes da parceria, Passarella foi demitido em maio, dois meses depois da estreia. Mas houve tempo para comandar a equipe no confronto de volta, no Pacaembu.

Já pelos lados do Paraná, o treinador daquela equipe recém-fundada ganharia notoriedade no cenário nacional pouco tempo depois – muito em função, justamente daquele histórico 3 a 0 -. Estamos falando de Caio Júnior.

Caior Júnior (à dir.) durante treino do Cianorte, em 2005 | Foto: Acervo/RPC

Embora tenha tido sua carreira como atleta e jogado em grandes equipes, como Grêmio e Internacional, foi como técnico que ficou nacionalmente conhecido. Antes de estar à frente do Cianorte naquele ano de 2005, Caio Júnior já havia treinado o Paraná Clube, onde também jogou, em 2000. Depois da vitória contra o Corinthians, no entanto, Caio retornou ao Tricolor da Vila Capanema, conduzindo o Paraná Clube ao 5º lugar no Campeonato Brasileiro de 2006, classificando a equipe para a primeira fase da Libertadores de 2007. No ano seguinte, teve sua primeira grande chance em um time do eixo Rio-SP, treinando o Palmeiras.

De lá, ainda passou por Goiás, Flamengo, Botafogo, Grêmio e também acumulou passagens pelo futebol do exterior até voltar ao Brasil, em 2016, para treinar a Chapecoense, levando a equipe de Santa Catarina para a inédita final da Copa Sul-Americana. Caio Júnior morreu no acidente de avião que vitimou o time catarinense a caminho daquela decisão, no dia 28 de novembro de 2016.

Dois anos depois de resultado histórico contra o Corinthians, Caio Júnior chega ao Palmeiras, primeiro grande trabalho em uma equipe do eixo Rio-SP. Mesmo com elenco limitado, fez uma grande campanha pelo alviverde no Brasileiro de 2007. | Foto: Acervo/Gazeta Press

“Seria um vexame”

O jogo de volta daquela Copa do Brasil foi em 6 de abril de 2005, no Pacaembu. O Corinthians tinha a pressão de vencer por, no mínimo, 3 a 0, para levar a decisão para os pênaltis. Em campo, o alvinegro venceu por 5 a 1, em jogo que marcou a estreia do narrador Milton Leite no SporTV, da Rede Globo.

Em 2020, quando a estreia de Milton Leite na emissora completou 15 anos, o SporTV produziu uma reportagem especial sobre aquela partida, entrevistando personagens daquele jogo. Entre os entrevistados, estava Roger Flores, também comentarista do canal fechado.

Ao relembrar o jogo, Flores admitiu que o elenco corintiano entrou em campo pressionado pelo resultado da ida.

“A eliminação teria uma repercussão muito grande. Era um time totalmente desconhecido, do interior do Paraná, contra o time mais badalado do cenário nacional naquele momento. Seria um vexame”, disse na época.

Quase duas décadas depois, novamente Maringá

Na sexta-feira (9), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou a realização de Cianorte x Corinthians, pela primeira fase da Copa do Brasil 2024, no Estádio Regional Willie Davids para o dia 22 de fevereiro, às 20h. Informações sobre vendas de ingressos e capacidade de público deverão ser divulgadas nos próximos dias.

A possibilidade do confronto ser disputado em Maringá passou a ser veiculada desde a realização do sorteio dos jogos, no fim de janeiro. Inicialmente, a diretoria do Cianorte FC confirmava apenas que jogo não seria em Cianorte, por conta da restrição de público do Albino Turbay. Além de Maringá, cogitou-se também levar o jogo para Londrina.


Compartilhar