Preço do gás de cozinha varia até 41% em Maringá, aponta Procon

Compartilhar

Foto: Andye Iore / Procon

O Procon, órgão da Prefeitura de Maringá, publicou hoje (23) um levantamento de preços do gás de cozinha. A pesquisa abrangeu 42 locais, tanto para a entrega quanto para a retirada do botijão de 13 quilos de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). A maior variação encontrada foi de 41,18% para a retirada do produto no estabelecimento. O valor mais baixo foi de R$ 85 e o mais alto de R$ 120.

Para a entrega do produto, a variação foi de 25%. O valor mais baixo foi de R$ 100 e o mais alto de R$ 125. “O gás de cozinha é um produto essencial para as famílias”, diz o coordenador do Procon, Flávio Mantovani. “Por isso, é importante pesquisar antes de comprar. Esses 41% representam R$ 35 de economia, que podem ser usados para comprar outras coisas para a casa”.

Os preços divulgados são para pagamento à vista e podem mudar conforme a região de entrega do botijão.

Na pesquisa de preços feita em janeiro do ano passado, a variação foi de 18%, sendo o mais barato R$ 110 e o mais caro R$ 130.

Na época, o levantamento era feito apenas para a entrega do produto. Depois, o Procon maringaense passou a fazer um levantamento mais completo, comparando também os preços para a retirada do botijão na loja. Comparando os preços no período de um ano, há uma diferença de até 30% entre o mais caro e o mais barato.

PESQUISA – JAN 2024


Compartilhar