Maringá terá nova delegada, mas Delegacia da Mulher seguirá comandada por um homem

Compartilhar

Paloma Gonçalves, atualmente na Delegacia da Mulher de Campo Mourão, será transferida para Maringá em 2024 para ser delegada adjunta. Delegacia da Mulher de Maringá não tem uma mulher no comando desde 2021.

Por Victor Ramalho

Após dois anos e meio, Maringá voltará a ter uma delegada na Delegacia da Mulher. Trata-se de Paloma Gonçalves, atual delegada-chefe da Delegacia da Mulher de Campo Mourão, que será transferida para a Cidade Canção no começo de 2024.

A informação havia sido dada, inicialmente, pela secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Terezinha Pereira, em entrevista ao Grupo Maringá de Comunicação (GMC) na quarta-feira (20). Ao Maringá Post, a Polícia Civil do Paraná confirmou, nessa quinta-feira (21), a transferência da profissional de Campo Mourão.

No entanto, conforme a Polícia Civil, Paloma Gonçalves será delegada adjunta. O cargo de delegado chefe da Delegacia da Mulher de Maringá permanecerá com Dimitri Tostes, que assumiu a função em abril de 2023.

Desde junho de 2021, a Delegacia da Mulher de Maringá não tem uma delegada chefe mulher, fato que chegou a gerar incômodo de algumas entidades ligadas ao assunto. Na ocasião, a delegada titular da divisão, Luana Lopes, pediu transferência para Apucarana.

Chegou-se a cogitar, em 2021, a transferência da atual chefe do Núcleo de Proteção a Criança e ao Adolescente (Nucria), Karen Friedrich, para a Delegacia da Mulher, o que não aconteceu. O escolhido na época foi Rodolfo Vieira, que ocupou a função até o começo de 2023.

Dimitri Tostes, que assumiu a chefia da Delegacia da Mulher de Maringá em abril, veio transferido da Polícia Civil de Alto Paraná e tem o trabalho bem avaliado.

Ao longo dos últimos anos, entidades de defesa das mulheres em Maringá, como a Procuradoria da Mulher da Câmara Municipal, tentaram negociar com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná para ter novamente uma mulher no cargo. Apesar disso, a versão do Governo Estadual sempre foi de haver déficit de delegadas mulheres no Paraná.

Foto: Reprodução/PMM


Compartilhar