Rede Sine do Paraná fecha 1º semestre com liderança nacional nas contratações de jovens

Contratações jovens Paraná
Compartilhar

De janeiro a junho de 2023, o Paraná colocou 36.098 jovens entre 18 e 29 anos no mercado de trabalho, permanecendo em primeiro lugar no ranking nacional de contratos intermediados pelas Agências do Trabalhador.

O desempenho do Estado nos seis primeiros meses do ano também representa um crescimento de 20,39% em relação ao mesmo período de 2022, quando 29.984 pessoas dentro deste recorte etário conseguiram um emprego por intermédio das Agências do Trabalhador e postos avançados de atendimento.

O número do Paraná é 174,86% maior nesta faixa etária que o segundo colocado, o estado do Ceará, que encerrou o 1º semestre com 13.133 jovens empregados por meio do Sine, e 204,37% mais que São Paulo, que colocou 11.860 jovens em vagas de emprego pelo mesmo sistema de intermediação de mão de obra. de janeiro a junho.

O Paraná foi também o que mais colocou jovens no mercado de trabalho na região Sul. O número de colocações feito por meio das Agências do Trabalhador paranaenses representa 81,66% do total de 44.204 vagas ocupadas nos três estados do Sul. O Rio Grande do Sul encerrou o período com 5.947 encaixes, enquanto Santa Catarina registrou, nos seis primeiros meses do ano, 2.159 contratos intermediados pelo mesmo sistema.

O desempenho do Paraná também foi o melhor do País especificamente em junho. O Estado fez naquele mês 5.996 colocações via Sine, um volume 128,25% acima do segundo colocado, São Paulo (2.627) e 180,32% maior que o Ceará (2.139), que ficou em terceiro lugar.

Para o secretário estadual do Trabalho, Qualificação e Renda, Mauro Moraes, o avanço superior a 20% no número de jovens encaixados em vagas de emprego por intermédio do Sine no Paraná é um importante indicador de empregabilidade para direcionar ações da pasta. “Desde janeiro deste ano, temos buscado ampliar as parcerias para oferecer cursos de formação para trabalhadores na faixa etária entre 16 e 29 anos. Muitas vagas de trabalho permanecem sem candidatos aptos no Paraná devido a falta de mão de obra qualificada”, disse.

“Por isso, nosso objetivo é direcionar a juventude para projetos de capacitação e qualificação profissionais, aumentando ainda mais os índices de empregabilidade nesta faixa etária”, comentou.

GERAL

O secretário lembrou que no primeiro semestre o Paraná liderou também os números gerais do Sine, que abrangem todos os grupos de trabalhadores.

De janeiro a junho, foram 67.427 pessoas encaminhadas para vagas de emprego com carteira assinada, superando a soma de todas as contratações feitas pelos estados do Ceará (22.299), São Paulo (21.842) e Rio Grande do Sul (14.219).

No comparativo com o mesmo período em 2022, quando as unidades do Sine estadual intermediaram 57.866 contratos de trabalho, o crescimento do Paraná foi de 16,52%.

Confira os relatórios detalhados AQUI AQUI.

AEN

Foto: Jonathan Campos/Arquivo AEN


Compartilhar