Polícia Civil prende dois suspeitos de latrocínio de idoso encontrado com mãos e pés amarrados

Compartilhar

Nesta quarta-feira (17), a Polícia Civil efetuou a prisão de duas pessoas suspeitas de participação no latrocínio do idoso Roque Miguel Bronque, de 72 anos, ocorrido em Wenceslau Braz (cerca de 300 km de Maringá).

Roque Miguel Bronque foi considerado desaparecido no dia 5 de janeiro deste ano. No dia seguinte, ele foi encontrado morto no Rio Tibagi, em Jataizinho, a quase 200 km de distância de sua residência. Seu corpo estava com as mãos e os pés amarrados.

O delegado Huarlei de Oliveira Chaves, responsável pelo caso, informou que quatro pessoas estão envolvidas no crime. Durante uma operação realizada nesta terça-feira, um homem de 25 anos e uma mulher de 19 anos foram presos. Outro suspeito veio a óbito em um confronto com a Polícia Militar (PM) no Jardim Cristal, zona sul de Londrina.

A quarta pessoa relacionada ao caso é Claudiane Piedade Machado, de 22 anos, que era companheira do idoso. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) que determinará a causa da morte ainda está pendente.

Companheira torna-se suspeita após investigações

Foto: Polícia Civil do Paraná

Claudiane Machado desapareceu na mesma época que o idoso. Ela chegou a ser localizada cinco dias após o achado do corpo, a cerca de 80 quilômetros de Wenceslau Braz.

Ao ser conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos, ela relatou que era usuária de drogas e que não sofreu nenhuma violência no caso. Depois disso ela foi liberada.

Contudo, com o avanço das investigações, Claudiane passou a ser considerada suspeita. Um mandado de prisão foi expedido contra ela e, agora, ela é considerada foragida.

A polícia aguarda o resultado do laudo do IML (Instituto Médico Legal) para descobrir qual foi a causa da morte do idoso.

Foto: Redes sociais


Compartilhar