Médico acusado de abusar de pacientes em Maringá vai para prisão domiciliar

Compartilhar

Foto: Reprodução / Redes Sociais 

O ginecologista e obstetra Felipe Sá, que foi preso em junho suspeito de abusar sexualmente de pacientes em Maringá, conseguiu o direito de cumprir a pena em prisão domiciliar. O médico foi solto no sábado (16) e está usando tornozeleira eletrônica, segundo o Departamento de Polícia Penal do Paraná (Deppen).

Felipe Sá é réu por 23 crimes de violação sexual mediante fraude, violência psicológica e estupro de vulnerável. Ele teria abusado de 42 mulheres que eram suas pacientes. A Justiça aceitou a denúncia contra o médico, que estava no Completo Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), desde setembro.


Compartilhar