Empresário é intubado após ser espancado por seguranças de shopping

Na época, o caso foi tratado como um acidente, mas foi descoberto que a vítima havia sido espancada pelos agentes de segurança do shopping.
Foto: Câmeras de segurança

Um empresário ficou gravemente ferido após ter sido agredido por um segurança e bombeiros civis do Shopping Catuaí, em Maringá. A agressão aconteceu no dia 22 de junho, após o empresário ter se envolvido em um acidente: ele perdeu o controle da caminhonete e invadiu o estacionamento do shopping, antes de bater contra uma árvore.

Alguns minutos depois, os ocupantes da caminhonete – o empresário e seu primo – saem do veículo e aparentam estar bem, apesar da forte colisão. Na gravação das câmeras de segurança, é possível ver que os dois homens são vistos conversando com seguranças do shopping e tentam deixar o local. Outros seguranças chegaram ao local do acidente e um deles, juntamente com um bombeiro civil, começam a agredir os homens que estavam no veículo.

Na época, o caso foi tratado como um acidente e que os ferimentos eram resultado da colisão do veículo, mas foi descoberto que as imagens da câmera de segurança haviam sido editadas, de modo que não mostravam o momento da agressão.

Os dois homens foram socorridos pela ambulância do Corpo de Bombeiros. Eles foram levados ao hospital. O empresário precisou ficar entubado durante dois dias e internado por algumas semanas. Ele recebeu alta há poucos dias.

Resposta do Shopping

O Shopping Catuaí se manifestou sobre o ocorrido. A nota pode ser lida a seguir:

“O Catuaí Shopping Maringá entregou no dia 24 de junho voluntariamente para autoridade local competente as imagens do seu sistema de vigilância, que registraram o ato de violência inaceitável, cometido por agentes de segurança privados, que violaram os princípios e políticas da empresa. O episódio teve início quando um carro desgovernado com dois homens invadiu o estacionamento do shopping, na madrugada do dia 22 de junho, seguido de um desentendimento que culminou com troca de agressão física, e os agentes de segurança agiram de forma inadmissível.

Estamos prestando todo o apoio às famílias das vítimas e permanecemos à disposição das autoridades, para colaborar ativamente com as investigações. Os agentes de segurança foram imediatamente demitidos e foi feita a rescisão do contrato da empresa terceirizada. Além disso, vamos tomar todas as medidas internas necessárias para reforçar que os valores, políticas e treinamentos do shopping sejam seguidos e eventos inadmissíveis como esse não voltem a acontecer.”