Caso Leandro Rossi: 30 anos após o desaparecimento

O governo do Paraná confirmou que ossada analisada corresponde com o material genético de Leandro Bossi, trinta anos após o desaparecimento. O material estava sob custódia do Instituto Médico-Legal (IML) do Estado.

Há trinta anos atrás Leandro,7 anos, desapareceu em Guaratuba, no litoral do Paraná. O menino foi visto pela última vez em um show na praia da cidade. A mãe de Leandro trabalhava em um hotel e o pai era pescador. Os responsáveis estavam trabalhando e quando notaram o sumiço da criança, acionaram a policia local. Na época nenhum indício foi encontrado, e Leandro Bossi entrou na lista do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (SICRIDE).

Ainda não se sabe qual teria sido a motivação do crime e de quem seria a responsabilidade pela morte do menino. Com as conclusões do novo exame, o nome de Leandro Bossi foi retirado da lista de crianças desaparecidas no estado.  Conforme a Polícia Civil do Paraná (PCPR), as informações do caso, que estavam arquivadas junto à Justiça, foram solicitadas. Na presença de elementos novos que justifiquem a reabertura do inquérito, o caso será reaberto e investigado como homicídio. Neste caso, a investigação ficará a cargo da Delegacia de Guaratuba.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.