Candidatos propõem obras, parcerias e integração para as ligações de Maringá com as cidades vizinhas

Por: - 21 de outubro de 2020
Candidatos apresentam propostas para integração de Maringá com as cidades vizinhas / Prefeitura de Maringá

A Região Metropolitana de Maringá engloba oficialmente 26 municípios. Em muitas dessas cidades, estão pessoas que se deslocam diariamente para Maringá para trabalhar ou estudar, realizando o chamado movimento pendular. É o fluxo de Maringá com as cidades vizinhas, que acabam funcionando como “cidades dormitório”.

Em 2010, estudo núcleo do Observatório das Metrópoles mostrou que mais de 40% dos moradores de Sarandi e Paiçandu se dirigiam diariamente para Maringá. A pedido do Maringá Post, os candidatos a prefeito apresentaram as propostas para melhorar as dificuldades nas ligações de Maringá com as cidades vizinhas, como Sarandi e Paiçandu. 

Além das propostas de obras, como o seguimento da Avenida Horácio Raccanello até Sarandi, e a possibilidade de firmar parcerias com a concessionária Rumo, os candidatos abordaram que também há necessidade de integração dos municípios da região metropolitana nas questões cultural, social e econômica.  

Carlos Mariucci (PT) não respondeu os questionamentos da reportagem. As propostas do candidato serão incluídas assim que o Maringá Post receber.

Akemi Nishimori (PL)

Akemi Nishimori é candidata a prefeita de Maringá pelo Partido Liberal (PL) / Divulgação

Maringá precisa assumir de vez a sua condição de polo regional e centro metropolitano e isso vai muito além de melhorar a estrutura das vias de acesso e o transporte coletivo. É urgente começar uma integração cultural, social e econômica com Sarandi, Paiçandu e outros municípios. Ainda não temos os problemas quase incontroláveis de outras regiões metropolitanas, mas estamos crescendo muito rápido. 

O destino de Maringá é metropolitano. Precisamos dar apoio principalmente na facilidade de deslocamento para a população entre os municípios buscando recursos e fazendo projetos para melhorar os ligamentos promovendo novos escoamentos para o trânsito. 

Minhas propostas são o diálogo franco e aberto com os municípios vizinhos e atuação intersetorial, em conjunto com todas as prefeituras e instâncias. O povo de Maringá terá muito a ganhar com essa integração bem planejada.

Anníbal Bianchini (PTC)

Anníbal Bianchini é candidato a prefeito de Maringá pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC) / Divulgação

Dentro das reuniões e audiências públicas para elaborarmos o PlanMob, pensando na mobilidade urbana para os próximos 50 anos, temos sim que apresentar propostas de melhorias. Se vamos ligar através de ciclovias, de um transporte mais moderno como um VLT ou outro meio de transporte elétrico, ou melhorando as rotas, qualidade, e valor das passagens dos ônibus, é necessário soluções porque o transporte público em Maringá hoje é caro e ineficiente. Tanto dentro de Maringá como para as conexões com a região metropolitana. 

Um compromisso que assumo é durante os 4 anos de gestão como prefeito, utilizar apenas transporte público e bicicleta. O transporte público só vai ser mais acessível e de melhor qualidade quando aumentar significativamente o número de usuários. E precisamos dar exemplo começando pelo prefeito. 

Ainda dentro do tema, acho necessário realizar as obras nos acessos ao Contorno Norte, que acabaram prejudicando as entradas por quem vem de Sarandi e também por Mandaguaçu.

Bovo (Podemos)

José Luiz Bovo é candidato a prefeito de Maringá pelo Podemos / Divulgação

Vamos ter novas ligações com Sarandi, na região do Contorno Sul por vias sem pavimentação que já ligam as duas cidades como a Avenida Mário Ferraz e as ruas Pioneira Maria Lopes e Limoeiro, no Jardim Bertioga. Também no limite paralelo ao Contorno Norte na região da avenida Franklin Roosevelt vamos fazer outra ligação urbanizada até Sarandi. 

Com Paiçandu, teremos novas ligações com Maringá. Precisamos apenas aguardar a definição das trincheiras do futuro Contorno Sul Metropolitano para localizar os novos pontos de ligação entre as duas cidades.

Coronel Audilene (Progressistas)

Coronel Audilene é candidata a prefeita de Maringá pelo Progressistas / Divulgação

A proposta mais interessante de ser estudada está no meu plano de governo. Considerando que ambas cidades são operadas pela mesma empresa, seria a possibilidade de usar o rebaixamento da linha férrea para que os ônibus pegassem as pessoas em Sarandi, entrasse numa canaleta exclusiva paralela à linha do trem e viessem diretamente até o terminal que já está preparado para receber passageiros no nível do trem, depois seguiria até Paiçandu e faria o trajeto de volta parando no terminal do outro lado. 

É preciso discutir isso com a ANTT e a Rumo, mas daria muito mais velocidade e praticidade nesta conexão metropolitana.

Dr. Batista (DEM)

Dr. Batista é candidato a prefeito pelo DEM / ALEP

Sarandi e Paiçandu, juntamente com Marialva, Mandaguaçu, Castelo Branco, Nova Esperança, Ângulo, Iguaraçu, Floresta, Mandaguari, Itambé entre outras um pouco mais distantes, são muito importantes para Maringá. Este trabalho de importância ímpar para a econômica de Maringá e de toda nossa micro região, vamos realizar em parceria com a Amusep que já trabalha no sentido do fortalecimento da nossa região. 

Um grande número dos trabalhadores que fazem girar o comércio e a indústria da cidade estão radicados nas cidades próximas e por isso vamos fazer todo o possível para uma integração permanente com iniciativas da prefeitura com a participação da Amusep. Começando por corrigir o nosso Terminal Urbano que excluiu os trabalhadores das cidades vizinhas, do contexto urbano da cidade, logo na sua chegada.

Eliseu Fortes (Patriota)

Eliseu Fortes é candidato a prefeito de Maringá pelo Patriota / Divulgação

Todos sabemos que Maringá não pode ser uma ilha e ignorar as cidades vizinhas. Todavia, a mobilidade entre os municípios não pode ser uma política pública só de Maringá. Envidaremos esforços para trabalharmos em conjunto, não só na mobilidade, mas, também, nas ações de segurança pública e saúde.

Evandro Oliveira (PSDB)

Evandro Oliveira é candidato a prefeito de Maringá pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) / Divulgação

Não só Sarandi e Paiçandu, mas Maringá possui outros distritos e municípios muito próximos, que dependem muito da nossa economia. Milhares de pessoas vem trabalhar aqui todos os dias. 

Uma das minhas principais propostas nesse assunto é possibilitar o bom fluxo do trânsito nas entradas de Maringá, como entrada Paiçandu/Maringá, Sarandi/Maringá, Paranavaí/Maringá, com o intuito de que todos os motoristas tenham segurança e rapidez na locomoção. 

Sarandi precisa urgentemente resolver o problema do retorno que foram fechados na Avenida Colombo em frente ao Detran, o que causa um gargalo no retorno no viaduto da avenida mais a frente, e que se agrava imensamente nos horários de pico.

 Outra opção é dar seguimento na Avenida Horácio Racanello até Sarandi. Será necessário esforço político para isto, mas lembro que teremos eleições para deputados e governadores daqui dois anos, então o momento de cobrar é agora.

Homero Marchese (Pros)

Homero Marchese é candidato a prefeito pelo Partido Republicano da Ordem Social (Pros) / Orlando Kissner / Alep

Sim, Maringá não pode se tornar uma ilha de prosperidade com cidades no seu entorno com baixos índices de desenvolvimento e elevadas disparidades socioeconômicas. Precisamos urgentemente de uma estratégia regional, em sintonia com as cidades de nossa região. Para isso, em nosso plano de governo criamos o Programa Integração Urbana e Socioeconômica Regional, que visa colocar em prática o fórum de planejamento de políticas públicas entre os municípios da microrregião de Maringá. 

Nesse ambiente, em conjunto com prefeitos, secretários e lideranças da sociedade civil da nossa microrregião, vamos implementar Plano da Metrópole Paraná Norte do Governo do Estado, com vistas a: Incentivar a consolidação de novas centralidades regionais, de forma a reduzir a desigualdade local entre a oferta de bens e serviços; promover uma maior integração no sistema de transporte e buscar viabilizar linhas de ônibus de Trânsito Rápido (nominados de BRT) entre Marialva, Sarandi, Paiçandu, Mandaguaçu e Maringá; construir ciclovias e ciclofaixas entre Sarandi, Paiçandu e Maringá, garantir a proteção e recuperação dos recursos hídricos; conter a expansão urbana periférica, incentivando a ocupação dos vazios existentes e recuperação de áreas degradadas, reduzindo a pressão sobre as áreas de interesse ambiental e áreas produtivas sustentáveis; prover a regularização de loteamentos antigos e com pequenas irregularidades; atender necessidades da nova geração de profissionais e criar empregos de alto valor agregado e garantir envelhecimento populacional mais autônomo, saudável e com menor impacto no sistema público de saúde.

Professor Edmilson (PSOL)

Professor Edmilson é candidato à Prefeitura de Maringá pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) / Divulgação

Não podemos esquecer que o início do planejamento urbano da cidade foi feito para atender a interesses de empresários e investidores de fora, principalmente os latifundiários que lucram com a especulação imobiliária. Os interesses destes grupos são atendidos conforme aumentam a precarização da qualidade de vida do trabalhador da cidade. 

Vê-se isso no monopólio que a TCCC/Cidade Verde possui sobre o transporte público e na recusa desta empresa em pagar a reposição salarial dos motoristas, um absurdo. Fora isso, a empresa cobra uma tarifa alta e, constantemente, quer diminuir a frota para aumentar os seus lucros colocando mais passageiros em menos ônibus circulando. 

De nada adianta propomos formas de integrar esses municípios se não pensarmos em romper com esse controle empresarial no deslocamento dos trabalhadores dessas cidades para Maringá. 

Um ponto a ser debatido é a municipalização do serviço de transporte coletivo, ou seja, discutir transformar o transporte coletivo em um serviço público. Se isso não for possível a busca deve ser em exercer pressão contra o monopólio e maior controle popular desse serviço.

Rogério Calazans (Avante) 

Rogério Calazans é candidato a prefeito de Maringá pelo Avante / CMM

Quanto à Sarandi, precisamos retirar o peso da ligação via Avenida Colombo. E isso ocorre fazendo a manutenção, pavimentação e conserto das pontes na região do Vale Azul. Isso vai gerar opções de ligação com Sarandi, retirando o fluxo da Colombo.

Quanto à Paiçandu, a principal necessidade é a pavimentação da estrada velha de ligação, que serve de alternativa à rodovia.

Ulisses Maia (PSD)

Ulisses Maia é candidato a prefeito pelo PSD / Divulgação

Temos pelo menos seis locais nos limites das duas cidades que exigem a intervenção conjunta entre os municípios para criar novas ligações. Todas já estão planejadas e em fase de execução de projeto, o que inclui também o avanço da avenida Horácio Racanello até Sarandi. 

 

 

 

Valdir Pignata (Cidadania)

Valdir Pignata é candidato a prefeito pelo Cidadania / Reprodução Facebook

Faremos um trabalho de abertura das ruas e avenidas principais, em conjunto com a Prefeitura de Paiçandu e de Sarandi para que a gente possa amenizar a situação da Avenida Colombo, que concentra muitos veículos. Vamos fazer esse trabalho com planejamento.

Também vamos pensar em Maringá sempre considerando os dois municípios circunvizinhos, em diferentes áreas, como saúde, segurança e assistência social.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.