Paraná a prospectar investimentos na Coreia do Sul

Compartilhar

O Governo do Paraná tem intensificado em 2023 as estratégias para atrair novos empreendimentos ao Estado e, também, fazer com que produtos paranaenses conquistem o mundo. Nesse contexto, as missões internacionais são importantes para iniciar tratativas e também consolidar negociações no Exterior.

O secretário estadual da Indústria, Comércio e Serviços, Ricardo Barros, esteve nesta semana na Coreia do Sul para prospectar novos investimentos do país asiático no Paraná. Na agenda, ele participou de uma feira de tecnologia, teve encontros com empresários, além de dar continuidade à negociação para abrir a venda de proteína suína e bovina do Estado ao mercado sul-coreano.

Em março, uma uma comitiva liderada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior ressaltou para as autoridades coreanas o status do Estado de área livre de febre aftosa sem vacinação e de área livre da peste suína clássica independente. Além do secretário, também integraram o grupo representantes de cooperativas e empresários.

“Estivemos agora na Coreia do Sul para participar da Feira de Design, conhecendo produtos inovadores, robôs, carregadores de carros elétricos, automação, além de inversores e estabilizadores para energia solar, ou seja, a tecnologia de ponta a favor do desenvolvimento”, destacou Barros. “E também estamos trabalhando para agilizar a liberação da autorização de exportação de proteína animal para a Coreia, com visitas a empresas”.

PROTEÍNA ANIMAL – As certificações internacionais de área livre de febre aftosa sem vacinação e de área livre da peste suína clássica independente foram concedidas ao Paraná pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), em 2021, após décadas de trabalho integrado do Estado, produtores e entidades do setor. A classificação confirmou em definitivo as garantias sanitárias do Paraná, assegurando vantagens aos produtores locais no mercado internacional.

Todas essas garantias foram apresentadas pela comitiva do Governo em março à Agência de Sanidade Animal e Vegetal da Coreia, quando o Ratinho Junior convidou inspetores coreanos a virem ao Paraná visitar os frigoríficos e abatedouros como parte da chancela para dar início às exportações. Convite que foi reforçado por Barros na viagem a Seul, nessa semana.

O Brasil já possui tratativas em nível federal para habilitar a venda de carne suína e bovina ao mercado sul-coreano, mas o objetivo do Paraná, tanto com a comitiva de março quanto com a viagem nessa semana, é acelerar esse processo, abrindo um mercado de peso para o agronegócio paranaense.

“É muito importante habilitarmos nossos frigoríficos para fornecer carne para a Coreia do Sul, um mercado de peso que vai impactar positivamente no escoamento da produção paranaense de proteína animal. E para conseguir essa abertura, temos que comprovar ao mercado coreano a nossa segurança alimentar, que não perde em nada para outros países”, destacou Barros.


Compartilhar