TRE cassa quatro deputados estaduais do PSL por fraude

O motivo da cassação seria por fraude na cota de gênero. Segundo a denúncia, a coligação inscreveu duas candidatas na chapa sem consentimento.
Foto: Divulgação / TRE

O plenário do TRE (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) decidiu, nesta segunda-feira (04) cassar a chapa completa de deputados estaduais do PSL nas eleições de 2018. O motivo da cassação foi uma fraude no preenchimento da cota de gênero de candidaturas femininas.

Por lei, todo partido é obrigado a reservar pelo menos 30% das candidaturas proporcionais a mulheres, mas o Tribunal chegou à conclusão de que o partido PSL havia cometido fraude nas cotas da eleição de 2018. Segundo a denúncia do MPE (Ministério Público Eleitoral), ao menos duas mulheres foram inscritas como candidatas na chapa – sem o consentimento delas – apenas para cumprir a cota legal.

Com a decisão, os deputados estaduais: Luiz Fernando Guerra (União), Ricardo Arruda (PL), Delegado Fernando (Rep) e Coronel Lee (PSD), perdem os mandatos eleitos pelo PSL em 2018.

Luiz Fernando Guerra (União), Ricardo Arruda (PL), Delegado Fernando (Rep) e Coronel Lee (PSD). / Fotos: ALEP

O processo tramita em segredo de Justiça e cabe recurso a TSE (Tribunal Superior Eleitoral).