Hossokawa diz que é urgente combater a violência em Maringá

O crescimento da violência preocupa e assusta a falta de investimentos do governo do Estado no aumento do efetivo policial e também em veículos para patrulha em Maringá. A afirmação é do presidente da Câmara de Vereadores, Mário Hossokawa.

Já em seu sétimo mandato, Hossokawa elenca três grandes problemas enfrentados pela cidade: o aumento da violência, principalmente com arrombamentos de residências e até famílias tomadas como reféns pelos criminosos; a saúde pública, com falta de atendimento principalmente às crianças e adolescentes; e a ausência de um programa efetivo de reposição das árvores da cidade.

Durante entrevista ao Maringá Post, Hossokawa destacou que o governo do Paraná parece se guiar pelas estatísticas (já que, pelos números, Maringá ainda é considerada segura) e, ao comparar os números de Maringá com Londrina, por exemplo, investe muito mais na segurança de outras cidades. Novos policiais, viaturas e equipamentos são enviados em maior quantidade para outros municípios.

Para o presidente da Câmara, embora o critério pareça fazer sentido para o Estado, na prática, a cidade vê os números de violência em Maringá crescendo ano após ano.

Maringá não tem os números de crimes de outras cidades do mesmo porte, porém, o cidadão está cada vez mais assustado, refém da criminalidade. Coibir antes do quadro se tornar pior, é o que defende Hossokawa.

O presidente da Câmara também cobra a prefeitura pela ausência de uma política de reposição das árvores. Recorda que, desde 2001, tem pedido para que o município estabeleça um projeto contínuo de troca das árvores. As atuais estão muito velhas e, por isso, basta um vento mais forte para que caiam e produzam estragos.

Ele cita o último temporal, registrado no final de abril, quando caíram cerca de 500 árvores. O fato ocorreu de madrugada, mas e se fosse num dia de semana com pessoas e carros circulando pela cidade?, questiona.

Sobre o atendimento de crianças e adolescentes no sistema público de saúde, Hossokawa cita que Maringá possui os recursos necessários para assegurar um bom atendimento a esse público. Entretanto, algo não tem funcionado e famílias estão inseguras, porque não recebem o atendimento pediátrico ou especializado.

Outros assuntos
Nesta entrevista, Hossokawa ainda fala sobre o afastamento dele por problemas de saúde, menciona o processo de recuperação e comenta sobre as expectativas para as eleições de 2022. Aponta, inclusive, que, como presidente do Legislativo, evita todo tipo de polarização. A cidade perde, conclui.