Saída de Sérgio Moro deixa Podemos sem rumo na disputa presidencial

Aspirante a protagonista na disputa eleitoral deste ano, o Podemos já cogita aceitar a condição de coadjuvante. O partido havia se articulado para contar com o ex-juiz Sérgio Moro na briga pelo Palácio do Planalto. Entretanto, com a filiação de Moro ao União Brasil, a sigla está dividida: não sabe se lança o general da reserva Santos Cruz ou se apoia a candidatura do presidente Jair Bolsonaro.

O general Santos Cruz é bem visto no partido e alguns acreditam que poderá tirar votos de Bolsonaro. Além disso, o general é articulado, seguro e possui mais desenvoltura em entrevistas e debates do que Sérgio Moro, que já demonstrou estar mal preparado para responder a imprensa e até mesmo para dar declarações oficiais. Entretanto, falta popularidade a Santa Cruz.

Por outro lado, dirigentes do partido entendem que o Podemos possui bandeiras similares ao do presidente Bolsonaro. Por isso, seria natural apoiá-lo na luta pela reeleição. O que ainda impede tal decisão é a rejeição da bancada do partido no Senado, crítica ao presidente, e o fato de o comando do partido avaliar que a sigla não deverá ganhar nada se estiver no palanque da reeleição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.