Requião diz que MDB foi sequestrado por Bolsonaro e anuncia saída da sigla

Roberto Requião, que pretende disputar o governo do Estado, agora vai procurar uma sigla que o aceite como candidato ao principal cargo no Estado

1 de agosto de 2021
requião
Requião entrou no MDB na época em que só existiam Arena e MDB Foto: Divulgação

O ex-governador do Paraná e ex-senador Roberto Requião anunciou neste domingo que está deixando o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido que ele ajudou a criar. Segundo Requião, “foi sequestrado pelo Rato e o Bolsonaro. O partido acabou”.

O anúncio foi feito um dia depois de Requião perder uma disputa pelo controle da legenda no Paraná. A sigla elegeu o deputado estadual Anibelli Neto, aliado do governador Ratinho Júnior (PSD), para o comando do partido.

Neste domingo, 1, o ex-governador confirmou a saída. “Aristóteles dizia que o homem é um animal político. Sou assim. Saí do MDB porque meu velho MDB de guerra acabou. Vou continuar fazendo política para o bem de meu país e do nosso povo.”

Crítico do presidente Bolsonaro e seu governo, Requião quer lançar candidatura ao governo do Paraná em 2022. Ele abriu uma enquete no Twitter perguntando aos seguidores em qual partido deve se filiar, citando PDT, PT e PSB, todos de oposição ao governo federal.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, que já enfrentou Requião em disputas no Estado, convidou o ex-governador para se filiar à legenda. “Fique certo que não te faltará trincheira para ser candidato ao governo do Paraná”, escreveu em mensagem no Twitter.